O Paraná Clube faz hoje -às 21h, no Durival Britto – um jogo decisivo para o seu futuro na Série B. Desacreditado por uma sequência de insucessos, o Tricolor tenta afastar a crise diante de um velho algoz.

O América-RN, penúltimo colocado, vem de derrota para o lanterna, mas traz no “currículo” uma série de triunfos contra o representante paranaense. Em 2007, o Paraná foi rebaixado por conta de dois tropeços frente ao time potiguar, o pior da Série A daquele ano.

Para pôr um fim ao jejum de vitórias, o técnico Marcelo Oliveira pretendia colocar em campo praticamente o time-base do período pré-Copa. A única mudança seria a entrada de Luiz Camargo na vaga de João Paulo, negociado com o Albirex Niigata (Japão).

Porém, pouco antes do treino, o técnico foi surpreendido com a saída de Gilson. O ala, de malas prontas para defender o Grêmio, pediu para não jogar. Marcelo Oliveira testou duas opções no apronto de ontem e decidiu não antecipar a escalação.

“Vou esperar até amanhã (hoje). Tenho que refletir melhor sobre as possibilidades e também analisar o adversário”, disse o treinador. Ele iniciou o treinamento com Paulo Henrique no time.

O lateral-direito veio da Ferroviária de Araraquara e assinou contrato após um período de testes. Com a entrada do garoto, Jefferson foi deslocado para a ala-esquerda.

Na segunda etapa do coletivo, Marcelo Oliveira colocou o zagueiro Diego Correa pelo lado esquerdo, com a volta de Jefferson para sua posição de origem. “O Diego tem bom vigor físico e maior bagagem. Vamos ver…”, afirmou o técnico paranista.

Se as alas estão definidas, o meio-campo está confirmado – e modificado – para o jogo frente ao América de Natal. Além da entrada do volante Luiz Camargo, o treinador joga suas fichas na volta do apoiador Wanderson.

Os números não deixam dúvidas: desde a saída de Wanderson – que se lesionou durante a intertemporada – o rendimento do Tricolor desabou. As várias tentativas não surtiram o efeito desejado e o time padeceu de um jogador capaz de fazer a transição do meio-campo para o ataque. Com Wanderson no time, Marcelo Toscano e Leandro Bocão voltam a formar a dupla de ataque do time.

“O momento é delicado. Mas, não podemos esquecer que nosso rendimento em casa é muito bom”, lembrou Oliveira, apostando na eficiência caseira do Tricolor, que somou 76,2% dos pontos disputados na Vila Capanema.

Nas projeções da comissão técnica, o Paraná terá que vencer todos os jogos que disputa em casa neste primeiro turno – depois do América-RN terá pela frente ASA e Figueirense – para seguir vivo na competição, visando o returno da Segundona.

Confrontos

8 Jogos 3 Vitórias 1 Empate 4 Derrotas
12 Gols pró 14 Gols contra -2 Saldo

O Paraná Clube levou a melhor no último confronto com o América-RN. Em casa e em jornada inspirada de Davi, o Tricolor fez 2×1 no rival. O meia marcou os dois gols, um em cada tempo, e assegurou o resultado positivo, na noite de 4 de setembro, pela 22ª rodada da Série B.

Max fez, no fim, o único gol do clube potiguar. A partida marcou ainda a despedida do técnico Sérgio Soares, que no dia seguinte decidiu trocar o Tricolor pelo Santo André.

***

Ficha técnica

Série B – 15ª RODADA
Paraná

Juninho; Alessandro Lopes, Irineu e Luís Henrique; Paulo Henrique (Diego Correa), Chicão, Luiz Camargo, Wanderson e Jefferson; Marcelo Toscano e Leandro Bocão.
Técnico: Marcelo Oliveira.

América-RN

Rodolpho; Cléber, Robson e Adalberto; Thoni, Fábio Oliveira, Saulo, Esley e Berg; Reinaldo e Chimba.Técnico: Lula Pereira.

Local: Durival Britto (Curitiba)
Hora: 21h
Árbitro: Edilson Ramos da Mata (MT)
Assistentes: Joadir Leite P,imenta (MT) e Luiz Fernando Irineu da Silva (MT)
TV: Premiére