Foto: Valquir Aureliano

O lateral André Luiz pode ser poupado no jogo de amanhã.

Após fazer a lição de casa com sobras – foram duas goleadas, sobre Adap Galo (4 a 0) e Cascavel (3 a 0) – o Paraná Clube colocou seu time na estrada e espera definir até a próxima quarta- feira, em dois jogos na condição de visitante, a sua classificação às semifinais do Paranaense. Mais do que isso, o técnico Zetti quer a manutenção da liderança deste Grupo A para jogar com vantagens a próxima etapa do torneio. Para isso, a comissão técnica tenta contornar os problemas diante de sucessivas lesões.

Cinco jogadores – sem contar João Vítor, que com o braço fraturado só volta a jogar no ano que vem – estão fora do duelo de domingo, às 16 horas, no Olímpico Regional, frente ao Cascavel. Contusões com origens distintas. Se Josiel e Neguete sentiram o desgaste da temporada, Dinelson fica um tempo parado por conta da perseguição de zagueiros adversários. ?Temos nos deparado com arbitragens péssimas na questão disciplinar?, lamentou Zetti, que define hoje a sua equipe. A principal novidade poderá ser a volta de Joelson à formação titular.

O meia ficou de fora dos dois últimos jogos por conta de uma suspensão imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Zetti não confirmou a presença de Joelson, mas deve escalá-lo para compor o trio de frente com Henrique e Vinícius Pacheco. Mesmo posicionado no 4-4-2, o Paraná tem recorrido seguidamente a um terceiro atacante, como forma de pressionar seus adversários. Isso ficou evidente no jogo da última quinta, quando Henrique, Josiel e Vinícius Pacheco ?entortaram? a zaga do Cascavel e em sete minutos o Paraná já vencia por 2 a 0.

Correndo por fora por esta vaga estão o meia-armador Renan e o centroavante Lima. ?Vou apenas fazer um trabalho leve, de posicionamento.

Aí, defino a equipe?, justificou Zetti. Ele preferiu não antecipar a escalação, pois iria conversar com o grupo após a longa viagem para o oeste do Estado. ?Alguns jogadores vêm de um desgaste maior e talvez precise poupá-los?, justificou. É o caso de André Luiz, que vem mostrando muita força física, com participação direta em várias jogadas de ataque do Tricolor.

Caso decida poupar André Luiz, Zetti escalará Léo Matos na posição.

Isso porque Alex, o reserva imediato da lateral-direita, foi vetado, com dores musculares, e nem viajou para Cascavel.

O time terá ainda outras duas mudanças em relação à formação da última jornada. João Paulo volta à zaga, para a saída de Toninho, e Goiano entra na cabeça-de-área, devido à ausência de Beto, suspenso pelo 3.º cartão amarelo.

Dinelson continua ?guardado? na Vila

O técnico Zetti já trabalha com a possibilidade de não contar com o ?baixinho? Dinelson não apenas para o jogo de amanhã, mas também para os duelos contra Adap Galo e Real Potosí, da Bolívia, pela Libertadores. O meia-atacante ainda sente muitas dores no tornozelo, ao executar determinados movimentos. A intenção inicial da comissão técnica era dar ritmo a Dinelson nestes jogos do Estadual, para que ele tivesse condições plenas de encarar o time boliviano, na altitude de Potosí.

Diante do atual quadro, Zetti já estuda outras possibilidades, sabendo que é fundamental preservar uma peça que vinha sendo fator de desequilíbrio pró-Tricolor. ?É uma lesão complicada.

A gente pensa que está bem, mas é só uma bola tocar na ponta do pé que a dor volta?, explicou Dinelson.

Os médicos do Paraná não estabeleceram prazo para a volta do ?baixinho?, mas acreditam que ele estará apto a enfrentar o Real Potosí. Só que aí, o problema seria a falta de ritmo.

?É algo que já estamos analisando com muito cuidado, levando em conta também o fator altitude.

Ele só volta se estiver bem?, comentou Zetti.

Outro fator que pesará na decisão da comissão técnica é a importância do jogo. Em caso de vitória na Bolívia, o Paraná estará classificado para as oitavas-de-final da Libertadores da América. Diante da distância entre os clubes, de três pontos, até mesmo o empate não pode ser desprezado, na avaliação dos paranistas.