Foto: Valquir Aureliano

Contrato de Batista está, a princípio, dentro da lei. Mas um procurador do STJD será designado para investigar a fundo a documentação e abrir inquérito ou arquivar o caso.

O parecer inicial da CBF aliviou a barra do Paraná Clube no caso Batista. Os documentos recebidos ontem pela procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) apontam que não haveria irregularidade no contrato de empréstimo do jogador do Avaí para o Tricolor.

Apesar disso, o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, designou um procurador para aprofundar as investigações. Serão comparadas as argumentações do Náutico com as informações enviadas pela CBF, e só depois disso o tribunal decide se arquiva o caso ou instaura inquérito. ?Neste momento, a hipótese de denúncia direta é bem pouco provável?, afirmou Schmitt. Na denúncia direta, o Paraná seria levado a julgamento e correria o risco de perder pontos pela escalação do jogador. A não ser que indícios de irregularidade sejam descobertos nesta nova investigação, o Paraná estará livre de punição.

O procurador-geral havia pedido à CBF dados sobre a origem do primeiro contrato de Batista com o Tricolor, registrado em março, quando ele ainda era vinculado ao Adap Galo, e se o empréstimo do jogador ao Paraná seria aceito mesmo que não houvesse este contrato de março. Antes de receber a documentação, Schmitt enxergava indícios de triangulação ilegal entre Adap, Avaí e Paraná, o que poderia invalidar o contrato do jogador. O Náutico protocolou queixa no STJD alegando que a liminar obtida por Batista liberava o volante para atuar somente pelo Avaí. O clube pernambucano pedia a retirada de 18 pontos do Tricolor, referentes às três partidas disputadas pelo jogador antes da queixa.

Paraná precisa embalar nesta reta final

Irapitan Costa

É hora de embalar para subir a ladeira. O Paraná Clube abre no domingo – em Recife – uma série de cinco jogos decisivos para o futuro do clube no Brasileirão. O objetivo é garantir o quanto antes uma estabilidade na tabela de classificação, evitando a pressão das últimas jornadas. Ainda mais diante de uma seqüência de jogos no mínimo complicada. Dos treze jogos restantes, oito serão fora de casa. Para fugir do sufoco, a receita é ?simples?: jogar com atitude para emplacar uma seqüência de vitórias.

O técnico Lori Sandri aposta na organização tática para iniciar essa arrancada. Principalmente depois do que viu diante do Corinthians, onde pela primeira vez sob o seu comando o Paraná não sofreu gols. ?É fundamental marcar bem. A partir disso é que o time encontra tranqüilidade para atacar, para ir em busca da vitória?, avisou o treinador. Diante do Sport, a precaução será ainda mais intensa. Pelo menos é o que deu a entender o treinador no apronto de ontem.

Com um meio-de-campo congestionado, vai tentar inibir as ações do rubro-negro pernambucano, que atuará no 4-4-2, fugindo à estratégia normalmente utilizada por Geninho. Lori Sandri não oficializou o time, mas iniciou o coletivo com o volante Beto na vaga do atacante Lima. Assim, com três jogadores de contenção no time, visa garantir a sustentação para que Éverton e Josiel façam a diferença lá na frente. Conta com a versatilidade de Beto e Batista para evitar que o Tricolor fique muito atrás, sujeito à pressão do adversário.

Na fase final do treino, trocou Éverton por Lima, ganhando assim maior presença de área. Preferiu não antecipar a escalação. ?O time está pronto, mas é bom trabalhar com duas ou três alternativas?, disse o treinador paranista. Durante o treinamento, Lori Sandri cobrou mais atenção de todos quanto à marcação. Quer a equipe com a mesma atitude da última partida, com a participação coletiva no bloqueio ao adversário, garantindo maior proteção ao trio de zagueiros e ao goleiro Gabriel.

?Marcar é preciso e nada tem a ver com retranca. Você tem que recuperar a posse de bola para depois poder atacar.

É simples?, analisou Lori. Acredita que, não sofrendo gols, o Paraná tem tudo para faturar três pontos, confiando na eficiência do artilheiro Josiel, o goleador isolado do Brasileirão, com 17 gols.

Time está com mais atitude

O zagueiro Daniel Marques aposta na mudança de atitude do time. Um estilo guerreiro evidenciado no jogo contra o Corinthians. ?Tudo mudou. Foi um novo Paraná, com mais atitude, com mais confiança?, analisou Daniel, que nesse jogo foi também o capitão do time. ?Acho que foi uma das minhas melhores partidas. Reconheço que não vinha conseguindo manter uma regularidade. E esse foi sempre o meu ponto forte, a manutenção de uma média?, disse o zagueiro.

Daniel Marques espera o time ligado no jogo deste domingo. ?Não pode ser diferente. Precisamos de duas, três vitórias seguidas para nos afastarmos dessa área de risco. Um novo tropeço e a pressão volta?, comentou o xerifão. Numa auto-avaliação, Daniel acredita que algumas lesões fizeram com que seu rendimento não fosse linear. ?Tive algumas lesões, daí não consegui manter a média. É ruim fazer dois jogos bons e depois cair de produção. Mas não vai se repetir?, afirmou.

Um dos líderes do grupo, Marques confirmou que a semana sem pressão foi bem-vinda. ?Não é fácil trabalhar estando na zona do rebaixamento. Até porque, esse grupo tem qualidade para estar muito acima na tabela. Só que esse campeonato está muito equilibrado?, analisou. Para o zagueiro, não é comum ver até onze clubes disputando para não ficar na rabeira da competição. ?Hoje, é isso que a gente vê. O Sport, que está em 11.º, é nosso concorrente direto e está apenas um ponto à nossa frente?, finalizou.