O Paraná Clube trava hoje à noite, mais uma luta na Série B. Desta vez, nada de bola rolando. O que entra em cena é o departamento jurídico, representado pelo advogado Itamar Côrtes. Ele busca a absolvição do gerente de futebol Alex Brasil, do supervisor Fernando Leite e do lateral Fernandinho. Todos eles foram citados na súmula pelo árbitro capixaba Felipe Duarte Varejão, no tumultuado jogo frente ao Vitória, no dia 10 de julho, pela 10.ª rodada da Série B.

Dirigentes e jogadores do Tricolor ficaram inconformados com os erros do árbitro e seus assistentes, Fabiano da Silva Ramires e José Ricardo Maciel Linhares. Além de um pênalti claro sobre Lúcio Flávio (onde o apoiador acabou “amarelado” por simulação), o trio inverteu faltas e não deu impedimento no quarto gol do time baiano, que venceu por 4×3. Após o apito final, houve confusão. Alex Brasil invadiu o gramado e “bateu boca” com o trio. Na súmula, Varejão declarou ter sido “ameaçado de morte”.

“Isso é absurdo. Eu estava ao lado do comando do policiamento. Se isso tivesse ocorrido, ele me daria voz de prisão”, rebate Alex Brasil, que estará no Rio de Janeiro, depondo neste julgamento. O advogado paranista irá usar as imagens do jogo na defesa do dirigente. Na transmissão da tevê, fica claro que Varejão xingou Alex Brasil. Uma situação que fez com que o trio também fosse citado pelo STJD. A preocupação maior, é claro, fica por conta da questão envolvendo Fernandinho, que já tinha amarelo e foi expulso direto, após o término da partida.