Flávio e Maurílio voltam a jogar juntos
contra o Paysandu. Márcio, artilheiro
tricolor, levou o terceiro amarelo.

O Paraná Clube deixou a incômoda “lanterna” do Brasileirão e os resultados do fim-de-semana confirmaram a sua saída da zona de rebaixamento. O técnico Caio Júnior reconhece que as combinações trouxeram alívio ao grupo, mas não tranqüilidade. O objetivo é não permitir que haja qualquer tipo de relaxamento neste momento decisivo. O Tricolor encara na seqüência – e fora de casa – dois adversários diretos na luta contra o rebaixamento: Paysandu e Vasco da Gama.

“O time passou pelo Vitória porque foi aplicado, guerreiro. Esse deverá ser o perfil nos próximos jogos. É como se fosse uma decisão de campeonato”, comentou Caio Júnior. A comissão técnica só lamentou a vitória do Bahia sobre o Atlético Mineiro. “Estão todos muito próximos e qualquer deslize será fatal. A concentração terá que ser total. É proibido perder”, avisou. O treinador preferiu centralizar a preparação da equipe nesta mobilização, deixando de lado a ausência de seu principal artilheiro. Márcio, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, dá lugar a Flávio.

Os dois não possuem a mesma característica – Flávio gosta de sair da área, enquanto Márcio joga mais fixo à frente – e por isso Caio Júnior já processou alguns ajustes. Maurílio jogará mais à frente, com o objetivo de prender mais a bola no ataque. “Temos pecado neste fundamento. Por excesso de pressa, tentamos aplicar os contragolpes e perdemos a posse de bola. Segurando a bola lá na frente, evitamos a pressão do adversário”, disse. Flávio teve poucas chances na temporada, pois ficou o primeiro semestre inteiro recuperando-se de uma cirurgia no púbis. No Brasileirão, mesmo sendo a opção imediata para o comando do ataque, só participou de três jogos (Portuguesa, Ponte Preta e Cruzeiro).

“Estou pronto e confiante. Não é fácil ficar tanto tempo na reserva”, disse o jogador, que em 2000, venceu o “duelo” com o próprio Márcio e foi o camisa 9 na campanha do título do Módulo Amarelo. A outra alteração confirmada é a volta de Fabinho à lateral-esquerda, apesar do elogios de Caio Júnior a Cris, que atuou frente ao Vitória. “O Cris foi muito bem e mostrou que pode ser titular da equipe”, disse o técnico, que relacionou Cris para o banco de reservas. Caio preferiu, no entanto, não oficializar o time e manteve uma dúvida no meio-de-campo.

César Romero pode ganhar a posição de Alexandre, fortalecendo a marcação no meio-de-campo. Caio vai anunciar quem começa jogando após observar alguns jogos do Paysandu, que jogando em casa tem por característica exercer forte pressão sobre seus adversários.