O Paraná Clube inicia uma árdua caminhada no segundo turno da Série B. Para seguir alimentando o sonho do acesso, o Tricolor terá que fazer uma campanha “de campeão”. Tentando minimizar a pressão sobre os atletas, o técnico Ricardinho procura dar ênfase apenas à necessidade do time melhorar seu desempenho como visitante. Só que para piorar, hoje – às 19h30, no Brinco de Ouro -, frente ao Guarani, o treinador não terá “meio time”.

Além das ausências dos apoiadores Lúcio Flávio e Fernandinho e do atacante Arthur, suspensos, outros três jogadores foram vetados pelo departamento médico. Os volantes Zé Luís e Ricardo Conceição e o atacante Nilson estão fora do jogo e poderão desfalcar o Paraná também nas próximas rodadas. Diante dessa situação, Ricardinho terá que lançar mão de Vandinho e Packer, que tiveram suas inscrições confirmadas pela CBF na semana passada. Packer não joga desde a 8.ª rodada, no empate por 1 x 1 com o São Caetano, fora de casa.

“Estou pronto pra ajudar. Vinha trabalhando muito a parte física e agora é esperar a definição do Ricardinho”, disse Packer. Enquanto aguardava a negociação definitiva com o Siena-ITA, seu ex-clube, Packer viu o Paraná crescer de produção, empolgar seu torcedor, mas perder o fôlego nas últimas rodadas. “Então, é hora de buscarmos nova arrancada. Ainda acredito no acesso, porque o grupo é bom e sofremos algumas derrotas inexplicáveis”, analisou o jogador.

Já Vandinho, se confirmado, faria a sua estreia. O volante não joga desde o ano passado, quando deixou o Al Sharjah, dos Emirados Árabes Unidos. O rompimento tumultuado do contato fez com que o clube árabe dificultasse ao máximo sua transferência e foi preciso a intervenção da Fifa, após o término de seu vínculo, em julho, para que a documentação fosse liberada. “Não vejo a hora de jogar”, disse Vandinho, que no clássico esteve no banco de reservas. “Garanto que a falta de ritmo será compensada com muita vontade”, comentou o atleta de 34 anos, que retorna ao Brasil após dez anos no exterior.

Na prática, independente das escolhas, Ricardinho terá que usar um meio-campo “alternativo”, já que todos os titulares da última partida estão fora. No ataque, o quadro não é muito diferente, já que Arthur vinha sendo o único titular absoluto do setor. Com sua ausência, Luisinho deve ganhar nova oportunidade, apesar do desempenho ruim nos jogos contra Ipatinga, ASA e Atlético (nas duas últimas, entrando no segundo tempo). Caso a opção de Ricardinho seja por um atacante de referência para atuar ao seu lado, as alternativas seriam Wendel e Wellington Silva.