Goleiro Fernando virou dono da
partida diante da inoperância do ataque
tricolor, com pouco público no Couto.

A falta de pontaria tirou a chance do Paraná de conquistar três pontos ontem à tarde, contra o Guarani, no Couto Pereira. Em um jogo feio, as equipes não passaram de um empate em 0 a 0, decepcionando o pequeno público que esteve ontem no estádio. A partida marcou a estréia do técnico Edu Marangon no comando tricolor. Pelas primeiras ações da partida, o Paraná Clube deu a clara impressão de que a vitória seria uma questão de tempo. Aproveitando a proposta do time paulista de jogar na defesa, o Tricolor lançou-se ao ataque, pressionando o adversário no campo de defesa.

Mas não demorou para a equipe deixar transparecer uma deficiência que seria determinante no resultado da partida: a falta de pontaria. na primeira etapa, foram pelo menos cinco belas jogadas que acabaram em chutes pela linha de fundo. Só Marquinhos perdeu duas boas chances. Aos 8 minutos, após boa triangulação com Caio e Maurílio, o meia chutou fraco, dando chance de defesa a Fernando. Aos 10, Fabinho fez bom cruzamento, a bola passou por toda a defesa e Marquinhos furou. Entretanto, a torcida pegava mesmo no pé de Flávio Guilherme, que tinha a dura missão de substituir o artilheiro Renaldo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Acuado, o Guarani praticamente não atacou na primeira etapa. As poucas subidas ao ataque eram protagonizadas pelo ágil Wágner. “Começamos bem e tivemos boas oportunidades. Como não fizemos, a ansiedade passou a jogar contra nós”, resumiu o capitão Ageu na saída para os vestiários.

Na volta para a segunda etapa, o técnico Edu Marangon decidiu dar uma nova dinâmica ao ataque e sacou Flávio. A saída do jogador foi a única coisa que fez os torcedores vibrarem. Apesar de Fernandinho ter dado mais movimentação ao ataque, com a saída de Flávio o Paraná perdeu o homem de referência e permitiu que o Guarani se assanhasse mais no jogo. mas o domínio continuou nas mãos do Tricolor e tal qual aconteceu an etapa inicial,a falta de pontaria era a grande inimiga do time – somada ao goleiro Fernando, que fez defesa importantes na etapa final. Aos 38 minutos, foi a trave que salvou o Bugre. Fernandinho invadiu a área e cruzou para Maurílio. No caminho, a bola desviou em Juninho e beijou o poste dirteito. Já nos descontos, o zagueiro Bruno Quadros salvou sua equipe interceptando um chute certeiro de Maurílio e garantindo o empate sem gols.

CAMPEONATO BRASILEIRO
26ª Rodada – 2º turno
Local: Couto Pereira
Árbitro: Vinícius Costa da Costa (RS).
Assistentes: Marcos Viana Ibañez (RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS).
Cartões amarelos: Fabinho, Ricardo Lobo, Fernando Miguel, Marquinhos e Roberto.
Público pagante: 1.647
Público total: 2.622
Renda: R$ 21.615,00

PARANÁ
0X0
GUARANI

PARANÁ
Flávio, Valentim, Cristiano Ávalos, Ageu, Fabinho (Rodrigo Silva), Fernando Miguel, Pierre, Marquinhos (Alcides), Caio , Maurílio, Flávio Guilherme (Fernandinho) Técnico: Edu Marangon

GUARANI
Fernando, Ruy, Juninho, Bruno Quadros, Gílson, Roberto, Rafael, Marquinhos (Reinaldo), Alex (Dinélson), Ricardo Lobo (Rinaldo), Wágner Técnico: Barbieri

Time lamenta, diretoria põe culpa na arbitragem

Trazer de volta a tranqüilidade à equipe. Esta é a receita que o técnico Edu Marangon vai empregar no tricolor nos próximos dias. Na avaliação do treinador, o Paraná jogou bem – haja vista o volume de jogo. Mas devido à ansiedade, não conseguiu converter em gols a oportunidades criadas. “Se tivéssemos convertido as chances em gols, teríamos goleado. Mas faltou o detalhe final”, lamentou o técnico após a partida.

A opinião do treinador é compartilhada pelos atletas. “Temos que reconqusitar a traqüilidade, reencontrar o caminho da vitória”, diz Crisitano Ávalos. Para o capitão Ageu, o Paraná experiemnta mais um período de baixa dentro da campanha. “Desde o início tem sido assim, uma variação de altos e baixos. Se nos recuperamos em outras oportunidades, certamente faremos de novo”, disse, referindo-se ao fato do time ter entrado em campo ontem vindo de duas derrotas consecutivas.

No entanto, a diretoria do clube reclamou de uma penalidade do Guarani que o árbitro não assinalou. Segundo o diretor de futebol Ricardo Machado Lima, a mão na bola dentro da área foi tão flagrante que parecia um “jogo de vôlei e não de futebol”.

A chance de reação do Paraná será nesta quarta-feira, quando a equipe vai à Goiânia enfrentar o Goiás, do ex-técnico paranista Cuca. Para esse compromisso, o Tricolor não contará com o volante Fernando Miguel e com o lateral-esquerdo Fabinho, que tomaram o terceiro cartão amarelo e cumprirão supensão. Em contrapartida, o treinador poderá contar com a volta de Renaldo, que cumpriu suspensão na partida de ontem.