O Paraná Clube entra em campo na noite de hoje para um jogo chave dentro de seus objetivos. Diante do Rio Branco de Paranaguá, às 19h30, na Vila Capanema, uma vitória pode significar três fatores importantes nessa nova etapa tricolor.

Primeiro, a fuga da zona de rebaixamento do Paranaense 2011; segundo, a liderança do 2.º turno, e terceiro, o embalo necessário para o clássico Paratiba no final de semana.

Para o técnico Ricardo Pinto, é melhor esperar para pensar no clássico diante do Coritiba. “Até lá, o caminho é árduo, muito longo”. No entanto, ele deixou claro ao grupo sobre qual a importância do duelo de hoje.

“Pode ter certeza que não teremos moleza contra o Rio Branco. A final de Copa do Mundo pra nós é contra o Rio Branco. Não se fala em outra coisa. Vermelho e branco são as cores que temos que superar”, disse, pensando na ponta da tabela e no fim da tormenta chamada ZR.

Descontraído, o treinador do Tricolor chegou a dizer que se conversa ganhasse jogo qualquer time de penitenciária poderia ser campeão do mundo. No entanto, ele ressaltou que usou o artifício para motivar os jogadores.

“A gente está conversando muito sobre essas situações novas que estamos vivendo, de não tomar gols, de ganhar jogos, de ter alegria novamente, vontade de entrar em campo e adversário respeitando o Paraná Clube. A gente nunca vai cansar de dizer que o Paraná Clube é muito grande e esse respeito resgatado para nós é motivo de muita alegria”, completou.

Em campo, o torcedor que for à Vila Capanema vai ver uma equipe mudada em relação ao grupo que venceu o Corinthians Paranaense, domingo, no Ecoestádio. De acordo com Ricardo Pinto, as substituições têm como objetivo básico dar mais velocidade ao Tricolor no jogo de hoje.

Na primeira mudança, sai o volante Anderson, suspenso por expulsão no último jogo, e entra Maycon Freitas. “O objetivo é poder movimentar um pouco mais. Pelo que estudei do Rio Branco, eles têm uma boa saída de bola e isso aí vai incomodar a gente um pouco. Mas eu coloco um jogador mais veloz, pra poder incomodar os zagueiros deles”, explica Ricardo Pinto.

Poupado por determinação do departamento médico, o lateral-esquerdo Henrique vai dar lugar para Lima. “Mudança óbvia, pois o doutor (Jonathan Zaze) vetou o jogador”, diz o técnico.

Por fim, no ataque, Renato perde posição para Léo. “Vamos jogar de acordo com o adversário, conforme ele se porta. Se der certo, deu. Se não der, o Renato vai ser uma opção no decorrer da partida”, avaliou Ricardo Pinto.