Valeu pela movimentação. Marcelo Oliveira aprovou o rendimento da equipe suplente no jogo-treino frente ao Caxias, ontem à tarde, na Vila Olímpica do Boqueirão. A comissão técnica do Paraná Clube trabalha para colocar todos o elenco em condições de jogo. “São 31 jogos pela frente e vamos precisar usar todos os atletas”, avisa o treinador paranista.

O Tricolor começou a atividade com muita força, pressionando o adversário. Logo aos 11 minutos, William – ex-Corinthians-PR -sofreu pênalti. Ele mesmo cobrou e fez 1×0. “Foi muito bom voltar assim ao clube. Mesmo em jogo treino, é importante marcar gols e atuar bem”, disse o jogador, que esteve em campo apenas no primeiro tempo. Isso porque ele segue com a delegação hoje, para Pelotas, onde o time titular encara o Brasil, amanhã à noite.

Com a vantagem, o Paraná passou a valorizar o toque de bola, enquanto o clube gaúcho recorreu a divididas mais fortes. “Não podemos nos descuidar, pois o foco principal é o Icasa, em julho”, explicou Oliveira.

No segundo tempo, o Paraná voltou com algumas alterações, em especial no setor ofensivo. Durante a etapa final, outras mexidas descaracterizaram um pouco o time. “Perdemos aquele conjunto, mas o que interessava era a avaliação individual de alguns jogadores”, explicou o treinador. Casos, por exemplo, de Paulo Henrique (ala) e Júnior (meia), que ainda não assinaram seus contratos. No fim, por conta dessas mudanças, o Tricolor deu espaço e sofreu o empate. O colombiano Palacios, aos 40 minutos, anotou o gol do Caxias, definindo o placar de 1×1.

O Paraná atuou com Thiago Rodrigues; Murilo (Juan), Diogo, João Leonardo e Kim; Ives (Paulo Henrique), Luiz Henrique Camargo (Volpini), Vinícius (Júnior) e Flavinho; William (Walderi) e Márcio Diogo (Somália).