O Paraná Clube defendia uma invencibilidade de cinco jogos na Série B. Mas, do outro lado, o adversário era a Ponte Preta, vice-líder da competição. Apesar da bravura paranista no jogo, a Macaca saiu com a vitória, por 4 a 3, na noite desta sexta-feira (21), em Campinas.

Com o resultado, o Tricolor dá, praticamente, adeus as chances de conquistar o acesso à elite do futebol brasileiro. Na próxima rodada, o Paraná recebe o São Caetano, na Vila Capanema.

Lance polêmico define placar da primeira etapa

O início da partida começou movimentado. O time da casa dominava as ações, mas o Paraná Clube mostrava velocidade, principalmente, pelo lado esquerdo, com Lima. A Ponte era quem tomava a iniciativa do duelo e o goleiro Thiago Rodrigues começava a se destacar novamente na meta paranista.

A torcida da Macaca, que estava em um bom número no Moisés Lucarelli, reclamava bastante com a arbitragem. Os lances polêmicos eram duas divididas dentro da área do Tricolor, que o árbitro mandou seguir. O Paraná tentava nas jogadas de bola parada, mas sem muito perigo.

Ao final do primeiro tempo, o zagueiro Brinner cometeu falta próxima da área em cima do ex-Coritiba Renatinho. Entretanto, o árbitro, de forma equivocada, marcou o pênalti. Ricardo Jesus cobrou a penalidade no meio do gol e abriu o placar: 1 a 0.

Tricolor é guerreiro, mas não evita derrota

Para a etapa final, o técnico Guilherme Macuglia mexeu no time. O zagueiro Cris, que já tinha o cartão amarelo, saiu para entrada do meia-atacante Marinho. Mas, quem marcou novamente foi a Macaca. Aos 11 minutos, Ferrón saiu da marcação de Brinner e cabeceou para as redes: 2 a 0.

O Paraná Clube ficava muito na defesa e falhava na marcação. A Ponte Preta marcava no campo de ataque e dificultava as coisas para o Tricolor. Mas, aos 17min, Lima cobrou uma bela falta e diminuiu para o Paraná: 2 a 1. O jogo ficou aberto. A Ponte Preta criava jogadas de perigo, mas o Paraná melhorou na partida e também produzia.

Aos 25min, mais um lance polêmico. O meia Packer foi derrubado na área e o árbitro não marcou o pênalti. Os jogadores do Tricolor ficaram na bronca. Aos 33min, Renatinho fez a diferença novamente. Uma baita jogada em cima de Gleidson. No rebote do goleiro, Lúcio Flávio ampliou: 3 a 1.

No lance seguinte, Ricardinho diminuiu para o Paraná, após bela jogada de Lima: 3 a 2. Mas, aos 45min, a Ponte fez mais um, com Lúcio Flávio marcando de novo. O Tricolor era guerreiro e Marinho, dois minutos depois, fez uma pintura de gol, diminuindo novamente. Mas, já era tarde. Final de jogo: Ponte Preta 4×3 Paraná Clube.