Há três anos relegado à Série B, o Paraná Clube será mais uma vez coadjuvante em um jogo festivo. Em 2008, foi a Santo André para “participar” da comemoração do Ramalhão, que conseguira o inédito acesso à primeira divisão.

Desta vez, o Tricolor entra em campo no Orlando Scarpelli – às 17h, em Florianópolis – para ver de perto as comemorações do Figueirense, que dois anos após a queda retorna à elite do futebol brasileiro.

No Bruno José Daniel, o Paraná não conseguiu fazer frente ao adversário e levou 3×1. Desta vez, o objetivo é fechar o ano de forma digna, ao menos na atual 7ª colocação.

“Por mais que seja apenas para cumprimento de tabela, vamos buscar o melhor, a vitória”, assegurou o técnico Roberto Cavalo. Após uma semana marcada por muitas cobranças por conta dos salários atrasados, a diretoria solucionou os problemas e o treinador decidiu escalar força máxima para “botar água no chope” do Figueira.

“Esse jogo já faz parte do planejamento para 2011. Vamos perder alguns jogadores, mas acredito que muitos vão renovar e formar a base do nosso elenco”, disse Roberto Cavalo, mais otimista quanto ao futuro do clube.

Sabe que no Paranaense do ano que vem irá trabalhar com um grupo enxuto e rejuvenescido. Só que isso não significará, na sua visão, um time menos competitivo.

Cavalo, nessa projeção, espera pelas renovações de Juninho, Alessandro Lopes, Irineu, Luís Henrique e Chicão. “São jogadores experientes e que dariam sustentação aos garotos que vão subir”, explicou.

Destes jogadores citados por Cavalo, apenas Irineu, que se recupera de uma lesão muscular, não estará em campo hoje. O setor defensivo, aliás, foi o ponto forte do Tricolor nesta temporada. O clube só teve um momento de instabilidade, quando foi impiedosamente goleado pela Portuguesa (6×1).

A partir da chegada de Cavalo, o Paraná recuperou a estabilidade e sofreu apenas três gols nos onze jogos sob a sua direção. “Série B é assim: primeiro você marca, depois joga”, resumiu o treinador. No caso de uma vitória, hoje, o Tricolor poderia fechar a competição num 6º lugar. Para tanto, dependeria de uma vitória da Portuguesa sobre o Sport.

O time terá apenas uma mudança frente ao Figueirense. Luiz Camargo retoma a posição de titular, na vaga do suspenso Edimar. Independente do resultado, o Paraná vai fechar o ano com o seu melhor desempenho desde a queda para a Segundona. “A ideia é que no ano que vem a gente possa estar festejando o acesso”, arrematou Cavalo.

***

Série B – 38.ª Rodada

Figueirense

Wilson; Lucas, Ygor, Roger Carvalho e Juninho; Coutinho (Baraka), Túlio, Maicon e Fernandes, Reinaldo e Willian.
Técnico: Márcio Goiano

Paraná

Juninho; Murilo, Alessandro Lopes, Luís Henrique e Henrique; Chicão, Javier Mendez, Luiz Camargo e Fernando Gabriel; Rodrigo Pimpão e Kelvin.
Técnico: Roberto Cavalo

Local: Orlando Scarpelli (Florianópolis-SC)
Hora: 17h
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes: Carlos Henrique Selbach (RS) e João Monteiro de Souza Júnior (RS)
TV: PFC

***

Confrontos

22 jogos
7 vitórias do Paraná
6 empates
9 vitórias do Figueirense
25 gols do Paraná
31 gols do Figueirense

Na última vez em que jogou no Orlando Scarpelli, pela Série B do ano passado, o Paraná Clube perdeu por 1 x 0. O Tricolor, aliás, não vence o rival catarinense desde 2006.

Na atual temporada, os clubes empataram por 1 x 1, na Vila Capanema. O jogo, pela 19ª rodada, foi disputado no dia 4 de setembro. Sob o comando de Marcelo Oliveira, o Paraná saiu na frente com Anderson Aquino, mas cedeu o empate no lance seguinte, quando Ygor definiu o placar.