Em busca de afirmação, o Paraná Clube encara hoje às 19h30, no Durival Britto um antigo freguês. O Iraty só conseguiu superar o Tricolor por duas vezes, em 23 jogos realizados.

Após bater Engenheiro Beltrão e Paranavaí, o time de Marcelo Oliveira quer provar que está na briga pelo título e não será mero figurante neste Estadual. Com 66,67% de aproveitamento, o objetivo é se manter nas primeiras colocações, com condições de brigar pela liderança nos confrontos diretos.

Para atingir esse status, o Paraná precisa, necessariamente, de um novo triunfo esta noite.

Apesar da posição relativamente tranquila que em nada lembra o sufoco vivido nas mais recentes edições do Estadual o técnico paranista não se empolga e lembra que na temporada está só começando e o caminho é longo e árduo.

“Temos muito a corrigir. Não estamos nem perto do que se pode considerar o ideal”, destaca Marcelo Oliveira, acreditando que seu time precisa de mais três ou quatro jogos para atingir um entrosamento minimamente aceitável.

“O importante é que estamos fazendo os resultados. Torcedor não quer saber de time que joga até brilhantemente mas não vence”, destacou o treinador.

O objetivo principal de Oliveira, nos últimos treinos, foi o sistema de marcação. Não especificamente da defesa. “Temos que marcar melhor, encurtando a distância e garantindo maior posse de bola”, disse. Mesmo conseguindo atingir os números projetados no início da temporada, Marcelo Oliveira quer mais e não dá folga aos jogadores.

De olho no fôlego

Indagado se já é possível cobrar mais dos atletas, foi taxativo. “A cobrança começou no dia 4 de janeiro. É claro que a parte física está num processo de desenvolvimento. Mas, a cobrança já existe e a resposta tem sido muito boa”, analisou o técnico do azul, vermelho e branco.

“Entrega não está faltando. Mas, é notório que tecnicamente precisamos e vamos melhorar”.

Oliveira espera já no jogo de hoje um time capaz de vencer de forma mais convincente, diferente do que ocorreu na última partida, diante do Paranavaí.

Marcelo Oliveira, que ontem fez um rápido ensaio tático antes do tradicional “rachão”, preferiu deixar uma dúvida na defesa.

Irineu, que convive com dores musculares devido à carga intensa deste início de ano, não treinou com o grupo esta semana.

Diego Correa foi seu substituto e o técnico deixou no ar até a possibilidade de lançar mão do garoto Marcelo, das categorias de base.

Porém, como já ocorreu na rodada anterior, Irineu deverá ser liberado pelos médicos após uma reavaliação, momentos antes da partida. Se isso se confirmar, o Tricolor entra em campo com a mesma equipe-base utilizada nas duas últimas jornadas.