Não foi só Mano Menezes que entendeu que a seleção brasileira foi superior durante todo o jogo deste domingo contra os paraguaios e que, não fosse os gols perdidos, o Brasil teria saído de campo com uma vitória convincente. O técnico do Paraguai, Gerado Martino, também constatou o óbvio.

“O Brasil deveria ter ganhado nos 90 minutos. Com sacrifício e coração, tiramos duas bolas em cima da linha”, lembrou o treinador, em coletiva de imprensa depois do jogo em La Plata. Segundo Martino, ele costumava reclamar de nunca ter tido sorte. “Hoje (domingo) eu tive muita sorte.”

Martino deixou claro que, apesar de o Paraguai ter ido à semifinal, atingindo seu objetivo, o time não jogou como deveria. “Jogamos uma partida totalmente distinta do que deveríamos jogar”, assegurou.

O goleiro Villar, herói paraguaio, também viu o jogo assim. “Foi uma partida que o Brasil dominou por inteiro. Tivemos um pouco de sorte. Foi uma partida muito sofrida, um rival muito forte”, comentou. Para ele, o Paraguai jogou como “antes”: “Não dar opção e ver se criamos alguma chance”.