A seleção brasileira feminina de vôlei começa na madrugada desta quarta-feira, pelo horário de Brasília, a busca pelo seu nono título de Grand Prix. A primeira partida da fase final será exatamente contra os Estados Unidos, atual tricampeã do torneio, mas que perdeu a decisão das últimas duas edições de Jogos Olímpicos para o Brasil.

Um dos destaques da seleção brasileira é novamente a oposto Sheilla, que ressalta o equilíbrio entre as seis equipes que estão em Sapporo, no Japão. Para ela, o aspecto físico será determinante para definir o campeão.

“Acho que essa será uma das fases finais mais equilibradas da história. Vejo poucas diferenças entre os times. A parte física será determinante. A equipe que estiver melhor fisicamente vai levar o título. Estamos muito bem e com uma geração renovada. Tivemos bons resultados nas três primeiras etapas e vamos em busca desse ouro”, afirmou a atacante.

Uma das jogadoras mais decisivas da história recente do vôlei brasileiro, Sheilla lembra que é em momentos como na fase final do Grand Prix que as grandes jogadoras aparecem. Por isso, que passar sua experiência para as mais jovens.

“Normalmente, as jogadoras já ficam mais concentradas na fase final. Todo mundo aqui pensa só nisso, acho natural termos um aumento de rendimento. Tento passar tranquilidade para o grupo. Na fase final pensamos mais nos jogos, a ansiedade aumenta, mas nunca podemos perder o nosso foco”, ressalta a bicampeã olímpica.