Eliminado de forma precoce da Taça Guanabara após um início complicado de temporada, o Botafogo tenta se redimir com a torcida em outra competição e volta as atenções para a estreia pela Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 21h30, diante do Campinense, no Estádio Amigão, em João Pessoa (PB).

Como tem classificação melhor no ranking da CBF, o time carioca tem a vantagem de jogar pelo empate no confronto de apenas um jogo, na casa do adversário. Quem se classificar enfrenta, na segunda fase, o classificado do confronto entre Ypiranga-AP e Cuiabá, que acontece no mesmo horário no estádio Zerão, em Macapá (AP).

A temporada do Botafogo está bem abaixo do esperado. O técnico Zé Ricardo vem sendo questionado pelas fracas exibições no Campeonato Carioca e o time sequer se classificou para as semifinais da Taça Guanabara, o primeiro turno do Estadual, somando apenas quatro pontos em cinco jogos, com três derrotas, um empate e uma única vitória, no domingo passado, quando bateu o Boavista por 3 a 0, mas já não tinha mais chances matemáticas de classificação.

O time terá atenção redobrada tendo ainda na memória a eliminação do ano passado, quando caiu para o modesto Aparecidense-GO, ainda na primeira fase, com derrota por 2 a 1 fora de casa. “Acredito que será uma partida muito tensa, mas o Botafogo tem o aprendizado do ano passado. Se aproveitarmos bem as oportunidades, poderemos conseguir a classificação”, prevê o técnico Zé Ricardo.

O Campinense faz um bom início de temporada e é líder do Grupo B do Campeonato Paraibano com dez pontos em cinco jogos – são três vitórias, um empate e uma derrota. No entanto, o time do experiente técnico Francisco Diá tem um desfalque de peso.

O atacante Chaveirinho chegou nessa temporada para ser o homem mais perigoso do ataque e começou com tudo, marcando dois gols em dois jogos. No entanto, sofreu uma lesão na coxa esquerda e não ficará cerca de um mês afastado dos gramados. Warlei deve entrar em seu lugar.