O torcedor palmeirense poderá soprar tranqüilos as velinhas na segunda-feira. Na véspera de completar 93 anos, o Palmeiras sofreu, mas venceu o Figueirense, por 2 a 1, no Estádio Orlando Scarpelli, pela 21.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a vitória, o Palmeiras chegou a 36 pontos e sem mantém próximo da vaga para a Copa Libertadores. A derrota deixou o Figueirense em uma posição delicada na tabela, com 25 pontos, bem perto de entrar na zona de rebaixamento.

O resultado pode servir de motivação para o Palmeiras, que na próxima rodada encara o clássico contra o São Paulo, no Palestra Itália, na quarta-feira. No mesmo dia, o Figueirense enfrenta o América-RN, novamente no Orlando Scarpelli.

Pressão até o gol

O Palmeiras começou pressionando, e assim foi até conseguir marcar o seu gol. Depois de boa jogada entre Wendel e Luiz Henrique, Valdivia recebeu quase na marca do pênalti e bateu com categoria para abrir aos 18 minutos de jogo. Antes de entrar a bola ainda tocou em Carlinhos e tirou o goleiro Wilson da jogada.

Após o gol, o Palmeiras diminuiu o ritmo do jogo, recuou até a sua intermediaria e passou a apostar nos contra-ataques. O Figueirense, por sua vez, foi timidamente ao ataque e insistiu nos cruzamentos pelo alto, que levaram pouco perigo ao gol de Diego.

O Palmeiras começou o segundo tempo disposto a ampliar o placar. Em menos de 8 minutos foram duas chances perdidas. Na mais incrível destas, Luiz Henrique recebeu livre na área, deslocou o goleiro, mas demorou para chutar e possibilitou a chegada de Chicão, que salvou em cima da linha.

Precisando do gol, o Figueirense acordou no jogo e esteve perto de em duas oportunidades quase seguidas, mas parou em duas grandes defesas de Diego, primeiro na cabeçada de Frontini e numa recuperação após quase ser chapelado pelo próprio Frontini.

A tática de "bola na área" do Figueirense acabou dando resultado aos 19. Felipe Santana levantou, a zaga palmeirense não cortou e a bola sobrou para Jean Carlos, que ficou à vontade para driblar Diego e tocar para o gol.

Jogo aberto e vitória no contra-ataque

O gol do Figueirense abriu mais o jogo e os times perderam várias chances. No mais claro lance de gol, aos 33, Frontini recebeu na área e acertou um belo chute, que parou no travessão do goleiro Diego.

Se no Figueirense a tática do "bola na área" era o que valia, no Palmeiras o jogada preferida era o contra-ataque. Aos 39, após lançamento, Wendel brigou com Asprilla, ganhou o lance e conseguiu bater cruzado. Max entrou livre na segunda trave e desviou para marcar o gol da vitória palmeirense.