O Campeonato Paulista não tem mais nenhuma equipe com 100% de aproveitamento. A última campanha perfeita a cair foi a do Palmeiras, que neste domingo não passou de um empate por 1 a 1 diante do Audax, no Pacaembu. Os comandados de Gilson Kleina saíram atrás no placar, empataram no segundo tempo e ainda tiveram a chance da virada, mas Alan Kardec perdeu pênalti, bem defendido por Felipe Alves.

Mesmo com o empate, o Palmeiras é a equipe de melhor campanha no Paulista até o momento, líder do Grupo D com 19 pontos. No domingo que vem, pela oitava rodada, terá pela frente o clássico diante do Corinthians, no Pacaembu. Já o Audax chegou a nove pontos, na terceira posição do Grupo B, e volta a campo contra o Rio Claro, em casa, no sábado.

O Palmeiras abusou das chances perdidas neste domingo, principalmente no primeiro tempo, quando apertou a marcação no campo de ataque e não deixou o adversário ter tranquilidade para sair jogando como gosta, sem chutão para frente, característica já conhecida do Audax neste Paulistão. Na etapa final, os visitantes aproveitaram a única chance que tiveram para marcar com Denilson. Mendieta ainda empatou, mas Felipe Alves, em grande dia, impediu a virada.

O JOGO – O Audax arriscou primeiro neste domingo, em dois chutes de longe, de Denilson e Tche Tche. Para evitar que os visitantes saíssem do campo de defesa, o Palmeiras apertava a marcação do meio para a frente e quando conseguia retomar a bola, levava perigo.

Uma dessas oportunidades aconteceu aos 13 minutos, quando Valdivia deu enfiada perfeita para Wendel, que tocou para trás. Leandro dominou e tirou do goleiro, mas exagerou e jogou por cima. Aos 15, o goleiro Felipe Alves e a defesa do Audax se complicaram, Wesley roubou e tocou para Leandro, que rolou para William Matheus encher o pé. Felipe Alves se recuperou e fez grande defesa.

Esta forte marcação fazia com que o jogo ficasse um confronto de ataque contra defesa. A sorte dos visitantes era que o Palmeiras perdia chance atrás de chance, principalmente com Leandro. Aos 18 minutos, ele fez boa jogada, mas na hora de bater jogou em cima de Nenê Bonilha. Aos 28, roubou já dentro da área, cortou dois marcadores, mas jogou para fora.

Com o forte calor que fazia em São Paulo, o desgaste dos jogadores era maior e, aos poucos, o Palmeiras afrouxou um pouco a marcação, deixando o adversário tocar na defesa. Mesmo assim, chegou em mais duas oportunidades no primeiro tempo. Com Valdivia, que quase marcou um golaço por cobertura, mas jogou para fora, e com Alan Kardec, que girou sobre a marcação e parou em Felipe Alves.

Como o primeiro tempo, o segundo começou com o Audax arriscando de longe e levando perigo nas tentativas de Carlos Magno e André Castro. Até que na primeira chance que teve dentro da área, os visitantes marcaram. Aos sete minutos, Velicka cobrou lateral pela esquerda, Thiago Silvy dominou mal mas a bola encobriu Lúcio. O atacante, então, rolou para Denilson fuzilar.

Rapidamente, Gilson Kleina colocou em campo Marquinhos Gabriel e Diogo nas vagas de Mazinho e Leandro, mas o Palmeiras exibia cansaço, talvez pela correria do primeiro tempo. Sem forças, a equipe via o Audax tomar conta da partida nos contra-ataques. Em um deles, Rafinha tentou encobrir Fernando Prass, que salvou aos 25 minutos.

Com sangue novo, o Palmeiras voltou a apertar a saída de bola e assim criou novas oportunidades. Diogo, sozinho, isolou aos 27. Quatro minutos depois, Valdivia sofreu falta quase na linha da pequena área, Mendieta cobrou com estilo e acertou o travessão. Depois de tanto insistir, o próprio Mendieta deixou tudo igual. O paraguaio aproveitou confusão na área após falta cobrada pela direita e bateu no canto direito de Felipe Alves, aos 34 minutos.

A torcida ainda comemorava o empate quando Marquinhos Gabriel invadiu a área, tentou o drible e, ao dividir com Francis, caiu. O árbitro deu pênalti, Alan Kardec bateu no canto direito do goleiro, que voou para a bola e defendeu. No rebote, o próprio Alan Kardec tentou, mas Felipe Alves, outra vez, salvou. O goleiro do Audax ainda salvaria outras duas chances, mostrando que o dia não era mesmo dos atacantes palmeirenses.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 1 AUDAX

PALMEIRAS – Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Wellington e William Matheus; Marcelo Oliveira, Wesley (Mendieta), Mazinho (Marquinhos Gabriel) e Valdivia; Leandro (Diogo) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

AUDAX – Felipe Alves; Nenê Bonilha (Carlos Magno), João Paulo, Francis e Velicka; Denilson, Camacho, André Castro e Tche Tchê (Marquinho); Rafinha e Caion (Thiago Silvy). Técnico: Fernando Diniz.

GOLS – Denilson, aos sete, e Mendieta, aos 34 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Rodrigo Guarizo do Amaral.

CARTÕES AMARELOS – Wellington (Palmeiras); Caion, Camacho, Carlos Magno (Audax).

RENDA – R$ 492.615,00.

PÚBLICO – 12.551 pagantes (14.281 presentes).

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).