O empate sem gols com o São Paulo, neste domingo, no Morumbi, pelo Paulistão, frustrou as expectativas dos jogadores do Palmeiras. No final do clássico, Valdivia resumiu o sentimento palmeirense de não conseguir a vitória mesmo jogando com um jogador a mais durante quase todo o segundo tempo – o zagueiro são-paulino Lúcio foi expulso. “A gente precisava ganhar”, lamentou o meia chileno.

“Vínhamos de dois jogos sem vitória (derrotas para Libertad e Tigre pela Libertadores) e essa era uma oportunidade boa para voltar a ganhar um jogo”, avaliou Valdivia, que foi o principal alvo do ataque da torcida palmeirense ao elenco na última quinta-feira na Argentina. Ele também mencionou o fato de o adversário ter ficado com apenas dez em campo. Naquela hora, disse o chileno, “precisávamos do gol”.

Além de precisar da vitória para melhorar a situação no Paulistão e diminuir a pressão da torcida, o Palmeiras lutava para acabar com um antigo jejum diante do São Paulo. A última vez que venceu o rival no Morumbi já faz 11 anos. Desde então, foram 12 vitórias são-paulinas e oito empates no clássico.

Já para o goleiro Fernando Prass, o cartão vermelho para Lúcio tornou o jogo ainda mais desafiador. Ele afirmou que o domínio maior de posse de bola do ataque palmeirense após a expulsão exigiu mais atenção da defesa. “Depois que tem jogador expulso, para o goleiro é mais complicado”, afirmou. “Seu time fica pressionando no ataque e é preciso muita atenção com o contra-ataque”, concluiu.