Palmeiras e Santos viveram uma semana em que pouco se falou de futebol e o assunto dominante foram provocações, ironias e pôster. Motivos de sobra para o encontro de dois times sedentos pela taça da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, a partir das 22 horas, no estádio Allianz Parque, em São Paulo.

No primeiro jogo, o Santos venceu por 1 a 0 e joga por um empate para ser o campeão. O Palmeiras precisa vencer por dois gols de diferença – vitória palmeirense por um gol e o título será decidido nos pênaltis.

O estádio estará lotado para acompanhar o jogo que vai marcar a primeira final de campeonato no Allianz Parque, há pouco mais de um ano de sua inauguração. Os 38 mil ingressos foram vendidos há mais de uma semana. Os dois clubes têm na decisão o único caminho para chegar à Copa Libertadores – no Campeonato Brasileiro já não têm mais chances de alcançar o G4.

Os ânimos já estavam bastante acirrados antes do primeiro jogo e ficou mais quente após a vitória santista por 1 a 0, na Vila Belmiro. Os palmeirenses se revoltaram com a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira, que não marcou um pênalti de David Braz em Lucas Barrios, e também com a postura de alguns atletas rivais. “O Heber Roberto é um árbitro experiente, o que passa tranquilidade. Mas o Luiz Flávio também era e não viu um lance claro”, disse o técnico Marcelo Oliveira.

Lucas Lima e Ricardo Oliveira foram os mais criticados pelos palmeirenses, que acusaram os adversários de tentarem arrumar confusão. No fim, quem acabou expulso foi o lateral-direito Lucas, após jogar a bola em Lucas Lima.

Declarações dos dois lados apimentaram ainda mais a decisão e fizeram com que os dois técnicos tivessem que colocar um freio nas provocações. Tanto Dorival Júnior como Marcelo Oliveira temem que o excesso de vontade de seus atletas desestabilize as equipes.

Quando parecia que não teria mais como esquentar o jogo, uma editora publicou na última segunda-feira um pôster do Santos campeão, algo que deixou os atletas do Palmeiras ainda mais motivados. A publicação foi bastante lembrada pelos jogadores e deve ser parte do assunto da preleção antes da partida.

Marcelo Oliveira, porém, garante que não partirá dele a ideia de usar as provocações. “Não gosto disso e não utilizo essas coisas. Acho que o jogador já vai muito pilhado naturalmente. Temos de ocupar espaço e dividir todas as bolas”, alertou o palmeirense.

No Santos, o goleiro Vanderlei entrou no clima e também provocou o rival. “O Palmeiras nem jogou aquele jogo. Só ficou se defendendo”, ironizou, em referência à primeira partida.

MISTÉRIO – Os dois técnicos resolveram fazer treinamentos fechados, mas não têm o que esconder. Marcelo Oliveira não poderá contar com Lucas, suspenso, e vai escalar o jovem lateral-direito João Pedro. “Por mais que ele tenha um lance ou outro errado, ele tem treinado bem”, explicou. E, no Santos, Dorival Júnior não tem desfalques e vai repetir a formação da primeira partida.