O Conselho Deliberativo do Palmeiras aprovou de forma unânime, no final da noite desta quinta-feira, a construção de um busto em homenagem ao goleiro Marcos, de 38 anos, que anunciou a aposentadoria do futebol no começo deste mês. O ex-camisa 12 também receberá o título de sócio-honorário, o primeiro concedido pelo clube alviverde em 50 anos.

O monumento ao jogador, que atuou no Palmeiras por 20 anos, será erguido na sede do clube e deve ser projetado pelo escultor Nelson Rocco, o mesmo que fez a estátua de Ademir da Guia. O busto, no entanto, só deverá ser colocado após a finalização das obras da Arena Palestra, em meados de 2013. Apenas três atletas antes de Marcos foram imortalizados pelo conselho do time alviverde: Ademir da Guia, Junqueira e Waldemar Fiúme.

O clube também deverá organizar um jogo de despedida para Marcos, ainda no primeiro semestre deste ano, provavelmente um duelo entre os times de Corinthians e Palmeiras que disputaram dois confrontos de “mata-mata” da Copa Libertadores: um nas quartas de finais, em 1999, e outro nas semifinais, em 2000. Os dois foram vencidos pelo Palmeiras tendo Marcos como protagonista.

CARREIRA – Além de conquistar o título da Libertadores com o Palmeiras, em 1999, Marcos brilhou com a camisa da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2002, na Coreia do Sul e no Japão. Único atleta do time dirigido por Luiz Felipe Scolari a jogar todas as partidas daquele Mundial, o goleiro foi um dos destaques da equipe e foi eleito o terceiro melhor atleta de sua posição naquele ano, atrás somente de Oliver Kahn, da Alemanha, e Rustu Recber, da Turquia.

No mesmo ano, porém, caiu com o Palmeiras para a Série B do Campeonato Brasileiro. Ao receber uma proposta do Arsenal, da Inglaterra, Marcos recusou para ajudar o clube de Palestra Itália a subir novamente, o que ocorreu em 2003. Outro título da carreira do goleiro é o Campeonato Paulista de 2008.