Classificado para a próxima fase do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores, o Palmeiras vai a campo neste domingo para enfrentar o já rebaixado Guarani, às 16 horas, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, pela 18.ª e penúltima rodada, com um time misto, mas sem euforia. Pelo menos é o que garante o técnico Gilson Kleina, que desde a última quinta-feira, quando o time derrotou o Libertad, tem batido no ponto de que não existem motivos para tanta comemoração e, consequentemente, a perda do foco.

Apesar de todo o clima favorável, o treinador teme que um tropeço possa não ser bem digerido pelo grupo e por parte dos torcedores. Mas também é fato que o jogo pouco pode interferir na ambição e no objetivo principal da equipe, que é acabar a fase de grupos da Libertadores na primeira colocação do Grupo 2. Por isso, o treinador resolveu poupar os principais titulares, repetindo o que fez nos jogos contra Linense e Ponte Preta.

A classificação antecipada no Estadual para as quartas de final não é o suficiente para o treinador. Mesmo com reservas, ele espera seriedade para ir atrás de mais um resultado positivo – seria o quinto consecutivo – que poderia colocar o Palmeiras no G4, o novo objetivo da equipe nas duas rodadas que restam na primeira fase do Paulistão.

Pelo andamento da competição, são grandes as chances de um clássico acontecer logo nas quartas, o que poderia atrapalhar, inclusive, o planejamento do time na Libertadores. Ficaria complicado poupar jogadores no Estadual, tendo pela frente um rival, seja ele o Corinthians ou o Santos.

Mas o que enche a equipe de confiança é que neste domingo deve ter mais um forte reforço vindo das arquibancadas. A torcida, que deu um show nos jogos contra Tigre e Libertad, também promete apoiar o elenco do início ao fim, mas obviamente sem o mesmo afinco dos jogos pela competição continental. “A magia entre o time e a torcida tem feito a diferença e acredito que isso ainda vá continuar por muito mais tempo. Depende só da nossa disposição em campo”, avisou o treinador.

E como se tornou um hábito, difícil do torcedor aceitar, é verdade, o Palmeiras terá muitos dos jogadores que poderiam ajudar o time na Libertadores apenas para a disputa do Estadual. Casos, por exemplo, de André Luiz, Léo Gago, Rondinelly e Leandro. Os três primeiros estarão em campo, mas Leandro, artilheiro da equipe na temporada e novo xodó da torcida, terá de cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo.