O Palmeiras aceitou as condições exigidas pelo meia-atacante Riquelme e se aproximou de um acerto com o jogador, afastado do futebol desde o fim da Libertadores do ano passado. O presidente Arnaldo Tirone e o diretor financeiro Antonio Henrique Silva voltaram da Argentina e decidiram que aceitam pagar o valor pedido pelo jogador de 34 anos na sua contraproposta.

Tirone, que fica no cargo só até segunda-feira, dia da eleição interna, quer deixar tudo encaminhado com o argentino. Como não há tempo hábil para fechar a negociação nos próximos três dias, ficaria para o próximo presidente, que assume na terça, a decisão de concretizar ou não a transferência.

Por conta dos altos valores envolvidos – a oferta inicial era R$ 420 mil por mês e foi aumentada -, o Conselho de Orientação Fiscal do Palmeiras deu parecer contrário à transferência. A ideia de Tirone é que o novo presidente, em início de mandato, receba carta branca para acertar com Riquelme e reforçar o elenco para a Libertadores e para a Série B.