O pai do atleta georgiano morto durante um treinamento antes da abertura dos Jogos Olímpicos de Vancouver afirmou, nesta segunda-feira, que seu filho havia lhe dito que a pista do luge era muito perigosa.

O pai de Nodar Kumaritashvili disse que teve uma conversa telefônica com o filho antes do treinamento. E, segundo ele, o atleta de 21 anos estava preocupado com a segurança da pista.

“Ele me ligou e me disse que a pista era muito perigosa”, disse David Kumaritashvili, que também foi atleta de luge. No domingo, ele afirmou que não vai assistir o vídeo do acidente que causou a morte do seu filho.

Durante um treino na sexta-feira, Nodar Kumaritashvili saiu da pista perto da linha de chegada ao terminar a curva 16 e se chocou contra um poste de metal quando estava a, aproximadamente, 145 km/h. Apesar da ação dos médicos para salvar sua vida, ele morreu em um hospital pouco depois do acidente.

A Federação Internacional de Luge e membros do comitê organizador dos Jogos de Vancouver disseram que investigação mostrou que o acidente foi resultado de um erro humano. Mikhail Saakashvili, presidente da Geórgia, rebateu a afirmação e disse que o erro de um atleta não deveria causar a sua morte.