Oswaldo de Oliveira comemorou a boa vitória do Santos sobre o Comercial, por 2 a 0, na noite de terça-feira, mas admitiu preocupação com as oscilações da equipe no Campeonato Paulista. Jogando na Vila Belmiro, o time marcou os gols no primeiro tempo, antes de cair de rendimento na etapa final, diante de um dos adversários mais fracos da competição.

“Este momento é difícil para se fazer avaliação porque é preliminar e vamos sofrer solução de continuidade de produção. A equipe já produziu mais em outros jogos”, avaliou o treinador, que esperava um placar mais folgado contra o modesto Comercial.

O placar mais tímido se deveu em parte ao baixo aproveitamento de Leandro Damião no ataque. Em sua estreia na Vila, o atacante criou poucas oportunidades e desperdiçou ao menos uma boa chance de marcar seu primeiro gol com a camisa santista.

Oswaldo, contudo, saiu em defesa de Damião. “É normal que ele esteja ansioso. Atacante tem de ser assim. Se ele estivesse tranquilo, eu iria ficar preocupado”. O treinador também disse que manteve Damião em campo durante os 90 minutos para que readquira o mais rápido possível o ritmo. “No jogo passado (vitória por 2 a 1 contra o Linense), ele saiu 10 minutos antes do fim porque sentiu cãibras. Hoje (terça) deixei até o fim porque ir conhecendo melhor os novos companheiros”.

Damião acabou ofuscado na Vila pelo jovem atacante Geuvânio, autor dos dois gols da partida. Após um dos gols, o jogador de 21 anos surpreendeu ao comemorar imitando um saci. Ao fim da partida, ele explicou o motivo. “Dedico o gol para meu agente, que sofreu um acidente de moto e perdeu uma das pernas”, afirmou Geuvânio.