O meia Oscar está conquistando a preferência de Luiz Felipe Scolari a cada jogo que faz pela seleção brasileira. A ponto de ofuscar Kaká, um jogador de quem é fã desde que era garoto. Oscar tem grandes chances de ser mantido como titular da equipe nesta segunda-feira, contra a Rússia, em Londres. E procura encarar com naturalidade a disputa com o jogador do Real Madrid.

“Briga por posição, independentemente do nome, é sempre difícil na seleção. Mas ele é meu ídolo, continua sendo e com certeza me espelho nele para jogar. É um prazer estar com ele na seleção”, disse Oscar na manhã deste sábado, em Genebra, onde a seleção fez o último treino antes da viagem para Londres, prevista para ocorrer nesta tarde.

Na segunda-feira, o jogo contra os russos será em um estádio que Oscar conhece bem, Stamford Bridge, do seu clube, o Chelsea. “Tomara que jogar lá faça boa diferença. Vou estar bastante empolgado, não só por estar em casa, mas por jogar pela seleção.”

Ele acredita que haverá um fator favorável à equipe, em relação ao jogo com a Itália. “O gramado vai estar bem melhor.” Só lamenta o fato de que deverá estar muito frio.

Jogador versátil, Oscar garante se sentir à vontade tanto quanto atua centralizado como quando cai mais para a esquerda. “No Chelsea também atuo assim. E me adapto bem.”

Na opinião de Oscar, se o Brasil repetir o primeiro tempo da partida de quinta-feira com a Itália, conseguirá vencer os russos. “Eles estão muito bem nas Eliminatórias, mas podemos nos sair bem.”