Conduzido por Larry Bird, lenda do Boston Celtics, Oscar Schmidt entrou oficialmente para o Hall da Fama Naismith, neste domingo, em cerimônia na cidade de Springfield (EUA). Hortência (classe 2005) e Ubiratan (classe 2010) são os outros brasileiros nomeados.

Antes do evento, Oscar, de 55 anos, afirmou que passou o “melhor fim de semana de sua vida”. Ao falar do segundo melhor, fez uma pequena provocação. “Foi em 1987”, brincou, lembrando da conquista do ouro pelo Brasil, contra os EUA, no Pan de Indianápolis.

Oscar disse que recebeu a notícia de sua indicação enquanto dirigia em Orlando, de férias. “Agora, trabalho oito meses por ano. Nos outros quatro, viajo, gastando tudo o que ganhei”, contou o ex-jogador, que luta contra um câncer no cérebro.

Maior pontuador da história dos Jogos Olímpicos (com 1.093 pontos), após ter jogado em cinco edições, Oscar disse que é surpreendente ter sido lembrado mesmo sem nunca ter jogado na NBA. “Eu sonhei a minha vida inteira em estar aqui (no Hall da Fama).” Ele foi o primeiro estrangeiro escolhido no draft da NBA, em 1984, pelo New Jersey Nets – atual Brooklyn Nets. Mas assinar contrato significaria dar adeus à seleção brasileira, o que ele nunca aceitou.