Orlando Pessuti pede audiência com Ricardo Teixeira

O vice-governador do Paraná, Orlando Pessuti, solicitou uma audiência ao presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Na pauta, a retomada das negociações para que Curitiba seja uma das sub-sedes da Copa do Mundo em 2014. O Brasil será o país-sede do evento. Ao todo, 18 cidades estão na disputa para sediar a competição. Em dezembro de 2008, a CBF anunciará os 10 ou 12 locais escolhidos. Cinco deles já estão praticamente certos: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Brasília. Curitiba disputaria com Florianópolis a possibilidade de ser uma das sub-sedes no Sul do País.

Pessuti ainda está aguardando uma resposta de Teixeira. Para o governo, a prisão do ex-presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Onaireves Moura, facilitaria o entendimento com a CBF. Teixeira estaria resistindo a realizar jogos em Curitiba devido à permanência de Moura no comando do futebol paranaense. O então chefão do futebol do Estado foi preso na manhã da última terça-feira acusado de chefiar uma quadrilha que desviava, através de outras empresas, verbas da Federação. Essa foi a terceira prisão de Moura.

Passar o bastão

Pessuti foi designado pelo governador Roberto Requião para ser o novo coordenador da comissão que vai trabalhar para que Curitiba cumpra as exigências do Caderno de Encargos da Fifa. Antes de passar o bastão para o vice, o governo do Estado tinha embarcado no ?sonho? de Moura em bancar e indicar o Estádio do Pinheirão como local para sediar os jogos da copa na capital paranaense.

Os presidentes do Coritiba, Giovani Gionédis, e do Paraná, na época, José Carlos de Miranda, também endossavam o estádio da FPF. Ricardo Gomyde, presidente da Paraná Esporte, autarquia do governo do Estado, e conselheiro do Coritiba, era quem estava anteriormente incumbido de capitanear a indicação de Curitiba junto à CBF. O poder passou agora para as mãos de Pessuti, reconhecidamente um político ligado às cores rubro-negras. A Arena da Baixada, do Atlético, já tinha sido pré-indicado à CBF.

Voltar ao topo