Operários que trabalham na construção da Arena Pernambuco, estádio escolhido para sediar os jogos da Copa de 2014 na região metropolitana de Recife, entraram em greve na noite de ontem, reivindicando a concessão de benefícios, como plano de saúde e folga no dia do pagamento.

O movimento começou no segundo turno da noite e prosseguiu durante a manhã de hoje. À tarde, segundo a Odebrecht Infraestrutura, responsável pela obra, metade dos trabalhadores retornou ao serviço e a outra parte foi embora. Trabalham na construção do estádio cerca de 4.100 operários.

A Polícia Militar foi ao canteiro de obras, localizado no município de São Lourenço da Mata, mas não houve confronto.

A maior preocupação agora é com o andamento da obra, que precisa estar 90% concluída até novembro, quando uma inspeção da Fifa confirmará quem receberá os jogos da Copa das Confederações, em 2013. O percentual, hoje, está em cerca de 50%.

Em nota, a construtora informou que já concedeu aumento salarial de 10,5% e que ampliou a folga, de um para três dias, aos trabalhadores que moram longe da obra. Sobre as reivindicações de concessão de plano de saúde, folga no dia do pagamento e reajuste nas horas extras, a Odebrecht informou que não pode atender as solicitações porque elas não fazem parte da convenção estadual trabalhista.

Na nota, a empresa disse ainda que já paga aos seus funcionários 30 horas mensais por produtividade e 90 horas semestrais por participação nos lucros, além de oferecer “transporte, alimentação e serviços de saúde”.