Às vésperas do início dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, a Organização Desportiva Pan-Americana (ODEPA) já pensa na próxima edição do evento, em 2019. Na noite de terça-feira, em Toronto, a assembleia geral da entidade se reuniu e decidiu que o surfe fará parte do programa dos Jogos de Lima, no Peru.

De acordo com o Comitê Organizador do Pan de Lima-2019, a Associação Internacional de Surfe e a Federação Pan-Americana de Surfe apresentaram documentos demonstrando o respaldo de 21 comitês olímpicos nacionais para que a modalidade fosse aceita.

A ideia dos dirigentes do surfe é que, com os Jogos Pan-Americanos possam servir como um teste sobre a participação da modalidade na Olimpíada. Afinal, o surfe é um dos oito candidatos a entrar no programa dos Jogos de Tóquio, em 2020.

Dois argumentos pesam contra o surfe: o fato de que a falta de ondas pode adiar indefinidamente a competição (o que vai contra o detalhado cronograma dos Jogos Olímpicos) e a necessidade de um julgamento subjetivo para definir os campeões. Por outro lado, a modalidade tem apelo mundial e milhões de praticantes, além de ser identificada com os jovens.