Depois de ver o Real Madrid vencer o Cruz Azul por 4 a 0, em Marrakesh, no Marrocos, e conquistar vaga nesta terça-feira com tranquilidade na final do Mundial de Clubes, o técnico Carlo Ancelotti ressaltou que o time espanhol “merece coroar este ano fantástico” com o título da competição organizada pela Fifa.

O treinador italiano já conquistou neste ano os títulos da Liga dos Campeões, da Supercopa da Europa e da Copa do Rei, e chegará à decisão do torneio embalado por uma incrível sequência de 21 vitórias consecutivas. O fato faz o comandante não esconder o otimismo e a confiança no título na decisão deste sábado, contra o vencedor do confronto entre San Lorenzo, da Argentina, e Auckland City, da Nova Zelândia, em semifinal que será realizada nesta quarta, às 17h30 (de Brasília).

“Temos muitas qualidades, uma das melhores é a atitude com a qual chegamos ao torneio. Jogamos com muita concentração e boa organização, por momentos os jogadores estiveram fantásticos, colocaram bem o foco no jogo para serem sempre melhores do que o rival”, disse Ancelotti, admitindo certa surpresa com o desempenho incrível do Real neste ano.

“Não imaginava que poderia conseguir tudo em 2014, um ano em que temos jogado muito bem e em que falta uma partida para terminá-lo ainda melhor. Vamos nos preparar para a final ao máximo porque este time merecer coroar este ano fantástico com o título mundial”, ressaltou, em entrevista coletiva.

CASILLAS BRILHA – Se o Real voltou a mostrar a sua habitual força ofensiva, Iker Casillas também foi decisivo nesta terça ao defender um pênalti cobrado por Gerardo Torrado quando o jogo estava 2 a 0 para a equipe espanhola. “Com um 2 a 1 talvez tivéssemos visto outro jogo. Um goleiro sempre está tentando ajudar a sua equipe em momentos assim. Tive sorte adivinhando o chute e estou contente porque a equipe pôde continuar tranquila e ganhar facilmente depois”, enalteceu o goleiro, cuja atuação foi exaltada pelo lateral Marcelo. “O Iker é um ótimo goleiro e sempre nos ajuda quando precisamos, de modo que será um prazer poder ajudá-lo a ganhar este torneio”, disse o brasileiro.

Para Casillas, a conquista do título mundial também seria o primeiro do jogador sob a chancela da Fifa. Em 2002, ele chegou a levar a taça de campeão do mundo de clubes, mas naquela ocasião a competição não foi organizada pela entidade. “Há 14 anos joguei este torneio mas não consegui ganhar”, comenta, recordando a edição do ano 2000, quando o time espanhol ficou com o quarto lugar e o título ficou com o Corinthians, no Brasil.

“Espero ganhar o título agora porque seria outra foto para a história, para o Real Madrid e em nível individual. Tudo o que signifique somar alegrias a este clube é uma satisfação máxima para um jogador”, ressaltou o ídolo merengue, que ao mesmo tempo conteve a euforia ao comentar a sequência de triunfos do Real.

“Ganhar 21 jogos consecutivos é muito difícil, mas é preciso manter os pés no chão e saber que não vai ser assim para sempre. Algum dia chegará uma derrota, um empate, mas nós não pensamos além do jogo do sábado, não pensamos além de obter a vitória número 22. O importante é que no sábado ganhemos, porque do contrário tenho certeza de que mudaremos todas as manchetes”, opinou.