Foto: Valquir Aureliano/ O Estado
Absolvido no julgamento de ontem, o "capitão" Beto volta ao time.

Um simples empate separa o Paraná Clube de mais uma final de campeonato paranaense. Apesar da vantagem, jogadores e comissão técnica não querem nem ouvir falar em favoritismo. Prevêem um jogo extremamente difícil – hoje, às 20h30, no Pinheirão – e contam com o apoio da torcida para superar mais um obstáculo na sua busca pelo título estadual. Frente ao Rio Branco, o técnico Luiz Carlos Barbieri promete uma equipe vibrante e programada para vencer.

?Nossa postura é sempre ofensiva. Se às vezes não conseguimos o volume de ataque desejado, é por circunstâncias do jogo?, comentou Barbieri, numa referência ao sufoco que o Tricolor passou diante do Iraty, na fase anterior, num jogo onde as ausências de Émerson e Beto foram bastante sentidas. Para o treinador, os erros do passado recente fizeram a equipe evoluir. ?Quero o time repetindo a luta que nos fez conquistar essa vantagem. O Paraná tem esse espírito guerreiro, que nos fez chegar até aqui. Com essa postura, vamos alcançar nosso objetivo?, assegurou.

Com a melhor defesa do Paranaense-2006 – 15 gols em 17 jogos – o Paraná entra em campo classificado (o 0x0 lhe dá essa condição). Além disso, o clube tem a seu favor uma invencibilidade de nove jogos no Pinheirão.

O último revés ocorreu no Brasileiro do ano passado, quando o Flamengo levou a melhor (0x1), com um gol nos acréscimos. ?Essa história de invencibilidade vale só para estatística.

O próximo jogo é sempre o mais difícil. E este jogo frente ao Rio Branco define a nossa sorte no campeonato?, avisou Barbieri.

Se o empate dá a classificação ao Tricolor, somente com a vitória o time garante o mando de campo do segundo jogo da final. Pelo menos na teoria, já que entrará em campo sabendo o resultado da tarde e caso o Coritiba não vença, o Paraná, passando pelo Rio Branco, decide o título no Pinheirão. ?Independente disso, vamos jogar para vencer.

É claro, com os cuidados necessários para anular as principais jogadas do Rio Branco, que mostrou ser uma equipe muito perigosa?, afirmou o meia Sandro, que recuperou a condição de titular.

?Temos três degraus até o nosso grande objetivo. Mas, temos que dar um passo de cada vez. Não adianta pensar em final, sem antes fazer um bom jogo contra o Rio Branco?, avisou Barbieri. O técnico, para evitar que os atletas mais jovens entrem no ?oba-oba? da galera, tratou de fechar o grupo na concentração desde a segunda-feira à noite. ?Tem que ser assim. Mobilização total. Nesse momento, é fundamental o descanso, a boa alimentação?, frisou.

Absolvido e escalado

O volante Beto retorna ao time após dois jogos de suspensão. Ele foi absolvido no julgamento de ontem e reforça o Tricolor na sua luta pela vaga à final do Paranaense. Expulso no primeiro jogo das quartas-de-final, quando recebeu também o terceiro cartão amarelo, Beto se viu obrigado a trocar o gramado pela arquibancada nos jogos contra Iraty (em Curitiba) e Rio Branco (Paranaguá). Com o capitão em campo, o Paraná ganha consistência no meio-de-campo para encarar o Leão da Estradinha. Beto obteve ?vitória? na sessão de ontem à noite, no TJD.

?Foi feita justiça, pois não fiz nada no lance e acabei levando o cartão vermelho?, comentou Beto. A imagem falou mais alto. Para os auditores, a súmula de Héber Roberto Lopes não retratou fielmente o que ocorrera em Irati. Por isso, orientaram os clubes a exigir da Federação Paranaense de Futebol e da Comissão de Arbitragem uma maior correção dos árbitros no preenchimento da súmula, que é o principal documento para os julgamentos. Héber relatou que Beto desferira um soco em André e na troca de agressões, ambos foram expulsos.

O DVD apresentado pelo advogado Itamar Monteiro Cortez foi determinante na decisão dos auditores. ?Agora, é ir para a concentração e fazer um grande jogo. Com os pés-no-chão, jogando com o regulamento para avançarmos mais uma fase?, disse Beto. Além do capitão, Barbieri poderá contar também com o atacante Jeff, também julgado na noite de ontem. Ele foi punido com um jogo de suspensão, já cumprido, e hoje deverá compor o banco de reservas. Vinte jogadores estão concentrados e dois serão cortados momentos antes do jogo.

Beto no meio-de-campo e João Paulo na zaga são as novidades em relação ao primeiro jogo contra o Rio Branco. Eles entram nas vagas de Serginho e Gustavo, respectivamente, que cumprem suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Devido ao desgaste do grupo -o jogo em Paranaguá foi disputado em gramado encharcado -, Barbieri não comandou o coletivo que programara. Houve apenas um treino leve, à tarde, no Pinheirão. ?Nessa hora, o descanso é o melhor treino?, sentenciou o treinador.

CAMPEONATO PARANAENSE
SEMIFINAL – JOGO DE VOLTA
Local: Pinheirão (Curitiba).
Horário: 20h30.
Árbitro: Héber Roberto Lopes.
Assistentes: Rubens Berton e Sirlei Piva.

PARANÁ CLUBE x RIO BRANCO

PARANÁ
Flávio; João Paulo, Émerson e Neguete; Goiano, Rafael Muçamba, Beto, Sandro, Maicosuel e Edinho; Leonardo. Técnico: Luiz Carlos Barbieri.

RIO BRANCO
Vilson; Baiano, Amaral Rosa, Rodrigo e Cleomir; Fábio Garcia, Gian, Doriva e Ratinho; Neyzinho e Negreiros. Técnico: Itamar Bernardes.