Ricardinho construiu, ao longo de 17 anos, uma carreira vitoriosa como atleta de futebol profissional. Mais do que um técnico, ele é um exemplo a ser seguido pelos jogadores. Em especial os garotos recém-chegados ao Paraná Clube. Os três primeiros reforços para 2012 foram oficialmente apresentados ontem e todos falaram da satisfação de trabalhar com Ricardo Luís Pozzi Rodrigues. Nem mesmo a baixa média de idade do grupo será, na visão dos atletas, um problema neste início de temporada.

Os zagueiros Alisson e André Vinícius e o volante Lucas se mostram otimistas com as possibilidades do Tricolor, que terá um mês inteiro de preparação para a Copa do Brasil. “Estou muito feliz com essa chance que o Paraná e o Ricardinho estão me dando”, disse o zagueiro André Vinícius, 20 anos. Com um início de carreira brilhante, quando foi campeão da Copa São Paulo e era presença certa nas seleções de base, o defensor viveu momentos difíceis, com duas cirurgias no joelho direito.

“Fiquei quase um ano parado. Isso me prejudicou muito. Mas, felizmente é passado”, afirmou. Em 2011, ele foi convocado por Tite para alguns jogos do Brasileiro, na reta final da competição. “Não cheguei a jogar, mas estava treinando com o grupo e isso foi importante para provar que eu estava recuperado da lesão”, destacou. André Vinícius aposta nessa pré-temporada para ganhar o ritmo necessário para uma boa estreia, no dia 7 de março, frente ao Luverdense, pela Copa do Brasil.

Vindo do interior do Estado, Alisson diz estar tendo a grande chance de sua vida. “O Paraná é um grande clube e que precisa voltar ao seu lugar. Estou orgulhoso de poder fazer parte desse grupo, que não vai decepcionar”, afirmou.

Alisson, 22 anos, já tem experiência no interior paranaense, tendo jogado a primeira divisão pelo Operário e a segundona pelo Grêmio Metropolitano. Já o volante Lucas, 21 anos, iniciou sua primeira coletiva no novo clube agradecendo a chance dada por Alex Brasil e Ricardinho. “Sou segundo volante, com facilidade para sair para o jogo e também marco gols”, avisou. “Jogador de meio-campo, hoje, tem que saber marcar. Mas, deve saber também ir à frente, criando jogadas para os companheiros. Estou muito orgulhoso de estar aqui e poder vestir a camisa do Paraná”, concluiu Lucas.