A primeira semana após o término da Série B foi de muita movimentação para o Paraná Clube. Além de apresentar o novo diretor executivo, Roque Júnior, a diretoria definiu a renovação do contrato, por duas temporadas, do volante Ricardo Conceição. Em meio a estas confirmações, o clube ainda trouxe os primeiros reforços para 2014: o zagueiro Júnior Lopes e o atacante Paulo Roberto. Desde então, as notícias minguaram e o clube vive um momento de trabalho interno e muito sigilo. Nem mesmo o esperado anúncio do comando técnico aconteceu.

O último fato relevante – ao menos para o torcedor paranista – foi a posse do novo Conselho Diretor e a oficialização de Celso Bittencourt como o novo vice-presidente de futebol. Desde então, surgiram várias especulações e nenhuma confirmação por parte da diretoria. A contratação de um técnico, antes apontada como prioridade, ficou em segundo plano por conta de vários procedimentos internos que a diretoria precisou executar nos últimos dias, inclusive com a apresentação aos funcionários do novo modelo de gestão, a partir de três unidades de negócios (futebol, social e CFA – centro de formação de atletas).

As ‘novidades’ surgiram através dos potenciais reforços, que anteciparam na imprensa ou nas redes sociais o acerto com o Paraná. O caso mais recente envolve o zagueiro Naylhor, do Icasa. Aos 26 anos, o jogador negociava a renovação com o time de Juazeiro do Norte e recebeu ofertas de Ceará, Fortaleza e Paysandu. ‘Havia uma negociação adiantada com o Ceará. Mas, a proposta financeira do Paraná foi melhor e estou feliz pela oportunidade’, disse o jogador, ainda em Juazeiro do Norte. Naylhor atuou em 25 jogos na campanha vitoriosa do Icasa. Com um elenco modesto, o time do interior cearense chegou em 5.º lugar.

Além de Naylhor, o meia Bismarck também revelou no Twitter que estava ‘chegando ao Paraná Clube’. Com 23 anos, o jogador iniciou carreira no Fortaleza e passou por Guarany de Sobral e Vila Nova. No início do ano foi campeão da Copa do Nordeste pelo Campinense e seu último clube foi o Nacional de Manaus. Resta saber se esses jogadores estariam sendo contratados para compor o grupo principal do Paraná ou se alguns seriam emprestados a outros clubes.