Rio – O retorno do volante Emerson, da Juventus e a estréia do goleiro Gomes, do PSV Eindhoven, são as novidades da lista de convocados do técnico do Brasil, Carlos Alberto Parreira, para o amistoso do dia 9 de fevereiro, em Hong Kong, contra a seleção local.

Vale ressaltar as ausências do meia Kaká e do goleiro Dida, ambos do Milan, que somente liberou o lateral-direito e capitão Cafu. Já o atacante Adriano, da Internazionale, de Milão, apesar de convocado, pode ser cortado, por causa de uma contusão no joelho esquerdo. "O Emerson voltou porque é um bom jogador e, no momento, não podemos contar tanto com o Gilberto Silva quanto Edmílson (ambos contundidos). E para a posição de volante ele vai suprir bem as necessidades", explicou Parreira.

O jogador da Juventus não era convocado desde fevereiro de 2004, quando o Brasil enfrentou a Irlanda e, na ocasião, o atleta pediu dispensa por causa de uma contusão no ombro. Mas, dias antes do amistoso, defendeu a Roma, sua equipe na temporada passada.

O sucesso na Holanda, onde quebrou o recorde da competição de número de minutos sem levar gols, despertou o interesse de Parreira por Gomes. O jogador já atuou nas divisões de base da seleção e foi o goleiro da equipe sub-23, eliminada do Torneio Pré-olímpico de 2004. Mas, a primeira convocação do goleiro para o time principal foi facilitada, principalmente, porque o Milan impediu a liberação de Dida.

Sobre as ausências de Dida e Kaká, Parreira foi enfático: "a convocação é esta para o momento que se apresenta. Sem explicações". Como o Milan se recusou a liberar todos os seus jogadores, a CBF negociou a dispensa de pelo menos um atleta. O escolhido foi Cafu, por ser o capitão da equipe.

Por causa de um acordo realizado em 2003, entre a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e a União das Associações Européias de Futebol (Uefa), como o confronto não será realizado na Europa ou em um local próximo, o clube europeu pôde vetar a saída dos atletas brasileiros.

Outros destaques da lista de Parreira foram as novas convocações do meia Diego, do Porto, do atacante Robinho e do meia Elano, ambos do Santos. Os meias Alex, do Fernerbahçe, da Turquia, e Gilberto, do Herta Berlin, também foram relacionados.

Parreira não demonstrou muito entusiasmo por enfrentar Hong Kong, mas festejou o fato de poder reunir a seleção. Lembrou que adversários como Itália e Inglaterra querem atuar contra o Brasil. o problema é que a folga de datas no calendário dos times não estão coincidindo.

"O jogo não é perigoso. O problema é que se eu ganhar de quatro ou três gols de vantagem vão dizer que é muito pouco. Se vencer por dez gols de diferença, falarão que não fiz mais do que a minha obrigação", afirmou Parreira.