Com poucos detalhes e muitas interrogações, o Flamengo anunciou oficialmente nesta segunda o acordo com a Peugeot para um patrocínio de três anos. Sem divulgar valores, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, o vice-presidente de marketing Luiz Eduardo Baptista e representantes da empresa celebraram o acerto como “o primeiro gol de placa da nova gestão na área de aumento de receita e marketing”. A montadora francesa estampará sua marca na área nobre do uniforme até abril, quando passará às costas.

O que explica o suposto baixo valor do contrato, a se considerar o que outras agremiações ganham dos seus patrocinadores masters. A reportagem apurou que a Peugeot desembolsará um valor fixo de R$ 27,4 milhões pelas três temporadas, ou pouco mais de R$ 9,13 milhões por ano. O contrato estabelece bonificações por título, como no acordo firmado com a Adidas no mês passado, o que pode elevar consideravelmente o montante total.

Com a migração da Peugeot para a parte de trás do uniforme, o Flamengo poderá negociar um acordo mais vantajoso para o espaço nobre da camisa e outro para as mangas. De acordo com Baptista, essas cotas podem ter um valor intermediário, o que permitiria um possível “rodízio” entre as marcas pelos espaços do uniforme, mas o executivo rejeitou que isso seja obrigatório.

“Não estamos fazendo um acordo de rodízio com a Peugeot. Existe no contrato uma situação que, de comum acordo, podemos agregar novos parceiros e caso essas empresas queiram durante esses três anos mudar seu posicionamento, isso pode ser feito de forma anual”, disse o vice de marketing, rejeitando os relatos na imprensa que davam conta de que haveria uma rotação pré-estipulada de quatro meses.

No entanto, a informação de que a empresa multinacional exibiria seu logotipo na frente do uniforme por tempo curto não foi divulgada durante a coletiva na Gávea. Apenas mais tarde a Peugeot deu tais detalhes em seu site oficial.

Antes do esclarecimento feito pela montadora, Baptista disse que o Flamengo vai anunciar até março mais dois patrocínios. O Conselho Deliberativo rubro-negro vai apreciar o contrato em reunião na noite desta segunda e a tendência é pela aprovação sem muitas ressalvas. O presidente do conselho, Delair Dumbrosck, participou da apresentação e se disse esperançoso por uma decisão favorável unânime.

O acerto com a Peugeot estabelece investimentos no futebol adulto e de base e no futebol de salão. “Podemos expandir isso no futuro. Mas tínhamos pressa (para fechar o acordo)”, disse Baptista.

Ainda segundo o dirigente, que lidera a busca por patrocinadores e outras fontes de renda, as empresas escolhidas terão de preencher quatro pré-requisitos para se ligar ao clube.

“Um relacionamento (contrato) de longo prazo, tem que ser financeiramente favorável ao Flamengo, além de a marca ter abrangência nacional e ajudar a internacionalizar o clube”, destacou o executivo.