Foto: Valquir Aureliano/O Estado
Zetti espera um Paraná habilidoso, usando a técnica dos meias.

A Libertadores da América, para o Paraná Clube, começa hoje. No jogo diante do Nacional de Rolândia – às 17h, na Vila Capanema -, o técnico Zetti coloca em campo aquele que pode ser o time-base para a competição continental.

No total, estarão em campo cinco dos sete reforços contratados até aqui pelo Tricolor. Com novidades em todos os setores, o desafio da comissão técnica – e dos jogadores – é entrosar o quanto antes a equipe, que dentro de doze dias encara o Cobreloa, no Chile.

Num tradicional 4-4-2 -esquema pelo qual Zetti não esconde a predileção -, o Paraná promete uma postura ofensiva, tirando proveito das características de seus meias e atacantes. ?Temos um time rápido, com meias habilidosos e que chegam com facilidade à frente?, confirmou o treinador paranista.

?Temos que saber explorar essa virtude, mas com atenção, com um time posicionado?. Zetti sabe que este ainda é um momento de transição para uma equipe habituada a jogar com três zagueiros.

Durante pouco mais de duas semanas, a comissão técnica realizou avaliações, definiu um grupo para aprimorar quase que exclusivamente o condicionamento físico e testou o restante do elenco nas duas rodadas iniciais no Paranaense. Neste terceiro jogo, Zetti escala o time que mais se aproxima do ideal, na visão do treinador. Mesmo sem contar com o atacante Josiel (sem registro), o treinador lança mão de Vinícius Pacheco para formar dupla com Henrique, destaque do Tricolor na vitória sobre o Iraty.

Além dos dois ?velocistas?, o Paraná terá ainda a estréia de Dinélson no setor de meio-de-campo. E o ?baixinho? não atuará só nesta função. O bom desempenho no segundo tempo do jogo contra o J. Malucelli valeu a Gérson a condição de titular. Zetti lembra ainda que pela qualidade técnica do capitão Beto – que estréia hoje no Estadual – o Tricolor terá praticamente três meias-armadores, resultando num time leve e audacioso. ?Para vencer, você precisa correr riscos.

É claro, com um plano tático bem definido?, resumiu o ex-goleiro, que traz no currículo dois títulos de Libertadores.

As outras duas estréias são na zaga. Daniel Marques e Aderaldo, titulares do time na campanha de 2005, retornam ao Tricolor. Naquele ano, tinham a companhia de Marcos no setor (o time atuava num 3-5-2), mas garantem que entrosamento não será problema. ?Isso, a gente resolve no diálogo?, afirmou Daniel Marques. ?Tô voltando disposto a jogar mais do que naquele ano. Acredito numa grande temporada para todos nós?. O pontapé inicial será hoje, uma prévia daquilo que poderá se esperar do clube, num ano histórico, onde pela primeira vez o Paraná representará o País na maior competição das Américas.

Zagueiro pode vir do Palmeiras

O zagueiro Leonardo Silva pode ser o próximo reforço do Paraná Clube. Pelo menos esta é a intenção da diretoria – com o aval da comissão técnica -, que já articula a liberação do atleta pelo Palmeiras. Seria o ?substituto? de Júlio Santos, que acabou descartado pelo clube por ainda se recuperar de uma cirurgia no joelho. ?Trabalhamos com alguns nomes. Mas, ainda não há nada certo?, revelou o técnico Zetti.

O Paraná ainda possui um ?crédito? com o Palmeiras, relativo às transferências de Edmilson e Pierre.

O problema é que o técnico Caio Júnior reintegrou Leonardo Silva ao elenco (no ano passado, o jogador atuou pela Portuguesa), assim que chegou ao Palestra Itália. A diretoria paranista já teria tido uma conversa preliminar com o ex-treinador do Tricolor.

Como o Palmeiras está acertando com Gustavo e conta ainda com Nen, que se recupera de lesão, a liberação de Leonardo Silva poderia ocorrer nos próximos dias.

Porém, o Paraná teria ainda outras opções para o setor. Além disso, vem fazendo outros contatos na busca por um lateral-esquerdo experiente.

O diretor de futebol Durval Lara Ribeiro, além disso, teria a possibilidade de acertar com pelo menos mais um meia-armador. Só que para tanto, o Tricolor teria que começar a ?enxugar? a máquina, evitando um crescimento além do necessário do seu elenco de profissionais.

O grupo atual já conta com 33 jogadores.

Beto está de volta e não abre mão do Paranaense

?Já estava com saudade de um jogo?. O capitão Beto, após trabalhar intensamente por mais de duas semanas, não vê a hora da bola rolar.

O jogador garante que seu pensamento não está na Libertadores, mas na sua estréia no Paranaense 2007. ?É uma competição importantíssima para todos. É claro que o ano é atípico, mas não devemos deixar o Estadual de lado, não?, disse Beto. O experiente jogador terá, agora, Goiano como seu novo parceiro na proteção à zaga.

?Não tem segredo nenhum. Já nos conhecemos muito bem e tenho total confiança no seu futebol?, comentou Beto. O volante nunca teve problemas físicos, mas recebeu um cuidado todo especial da comissão técnica paranista. Aos 33 anos e em sua quarta temporada no clube, todos sabem do potencial de Beto. ?Tenho um bom lastro físico. Mas, estou hoje muito melhor do que há dez dias. Acho que essa preparação direcionada foi muito boa para mim?.

Por perder muito peso na inatividade, a preocupação dos preparadores físicos era fazer com que Beto ganhasse massa muscular durante essa pré-temporada.

?Houve uma atenção especial à alimentação e ao descanso, sem esquecer dos complementos vitamínicos?, lembrou Beto. ?Agora, é entrar em campo e desempenhar, buscando recuperar o quanto antes o ritmo de jogo?, destacou o capitão paranista. Nessa contagem regressiva para a Libertadores, ele deve atuar hoje e contra o Londrina, no próximo sábado, antes de estrear na competição continental.

Nacional quer apagar má impressão

O Nacional enfrenta o Paraná Clube com a responsabilidade de apagar a má impressão deixada neste início de Campeonato Paranaense, quando o time perdeu as duas partidas que disputou, contra o Adap Galo, fora de casa, e Iraty, em Rolândia, ambas por 3×1.

Jogadores e comissão técnica sabem que terão uma parada difícil pela frente. Mesmo tendo pela frente o Paraná com sua força máxima, o comandante do NAC, Danilo Augusto, confia na capacidade de seus atletas. ?Pode ser o melhor time do mundo, se nós encaixarmos o nosso jogo, se colocarmos em campo o que fizemos no treino, temos condições de jogar de igual para igual?, afirmou o treinador. ?Uma vitória seria excelente, um empate é bom. O negócio é fazer dentro de campo o que estamos pedindo?.

Danilo tem muitas dúvidas para definir o time. Almir sente dores musculares, Cleiton e Bruno estão machucados.

A única certeza é a escalação do experiente atacante Marcão desde o início. Ricardo Paulista, Wellington e Cacau devem ser os substitutos.

CAMPEONATO PARANAENSE
1ª FASE – 3ª RODADA
Local: Durival Britto (Curitiba).
Horário: 17h.
Árbitro: Almir Rogério Ruiz Garcia.
Assistentes: Luiz Henrique Renestro e Giuliano Sufredini.

PARANÁ CLUBE  x NACIONAL

PARANÁ
Flávio; Alex, Daniel Marques, Aderaldo e Egídio; Goiano, Beto, Gérson e Dinélson; Vinícius Pacheco e Henrique. Técnico: Zetti.

NACIONAL
Renato; Bruno (Cacau), Nei e Gonçalves; Renatinho, Juninho Sodré, Mário Júnior, Kléber e Cleiton (Wellington), Almir (Ricardo Paulista) e Marcão. Técnico: Danilo Augusto