Não é novidade que as revelações do Atlético recebem menos que os jogadores mais tarimbados. De acordo com o presidente Marcos Malucelli, esta situação é normal em qualquer agremiação, na iniciativa privada e até nas empresas públicas. “Jogadores consagrados recebem mais. Isso é normal. Jogador recebe menos em início de carreira”, disse.

O que Malucelli contesta não é falar em relação à disparidade dos vencimentos, mas sim, segundo ele, os valores em si, que não condizem com a realidade. “O Kléberson, por exemplo, quem paga o salário é o Flamengo”, explicou, negando que o Atlético gaste R$ 210 mil mensais com o volante.

Malucelli repudia ainda qualquer afirmação de que os jogadores da base estão desvalorizados. O presidente revelou que o clube trabalha com um plano de carreiras para os jovens talentos. Eles vão recebendo aumentos de acordo com a produtividade. Os atletas que forem cumprindo os objetivos determinados recebem melhores salários.

“Exemplos típicos são o [goleiro] Neto e o Manoel. Eles passaram a ganhar muito mais que outros que subiram com eles, com o Bruno Costa e o Fransérgio, que não atingiram as metas e têm salário inferir. É uma questão de ascensão de carreira”, disse.