No dia em que completa 103 anos, o Corinthians revê um técnico e um grupo de ex-jogadores que até um passado recente ganhavam títulos defendendo as cores preto e branca. Eis a questão: como a Fiel, que vai lotar o estádio, recepcionará o técnico Mano Menezes e como será a atuação de Felipe, Chicão, André Santos e Elias no Pacaembu? Esses são os ingredientes do clássico que reúne os dois times de maior torcida do País, neste domingo, às 16 horas, pela 17.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

É o primeiro reencontro do Corinthians com Mano Menezes, que defendeu o clube em 185 jogos, de 2008, na Série B, a 2010, quando deixou o clube para defender a seleção brasileira. Neste período, ele conquistou, além da Série B, um Campeonato Paulista e uma Copa do Brasil (ambos em 2009).

Felipe, Elias, André Santos e outro ex-corintiano, Wallace, já estavam ou tinham sido recém-contratados pelo Flamengo quando Mano Menezes desembarcou na Gávea. O treinador, atento ao mercado, fisgou Chicão, que saiu do Corinthians literalmente pelas portas do fundos, há um mês, depois de conquistar da segunda divisão nacional ao título do Mundial de Clubes da Fifa, no Japão.

“Ganhei quase tudo, merecia mais consideração”, disse ele em uma de suas entrevistas logo após a rescisão de contrato – ele tinha vínculo até o final deste ano. A diretoria ofereceu uma renovação ao mesmo que exigiu diminuição de salário por ele ter virado reserva. Não houve acordo. Desta trupe, certamente ele é que está mais motivado a mostrar que tinha condição se continuar no Corinthians mesmo com 32 anos. No Flamengo, ele chegou, já marcou gol de falta e é titular.

Do outro lado, também há o reverso da moeda. Ibson é o “Chicão do Corinthians”. Há cerca de dois meses ele pulou da Gávea para São Paulo. O motivo: havia sido afastado por Jorginho, que agora é treinador da Ponte Preta. Também vai jogar com motivação extra – e até porque ele ainda precisa conquistar os torcedores alvinegros. Ele só virou titular depois que Guilherme se lesionou e por isso mesmo pediu “um tempo” para se adaptar. Por ora ele tem a confiança do técnico Tite.

O Corinthians também tem outros ex-flamenguistas no elenco, coadjuvantes como Maldonado, o hoje reserva Alessandro, com passagem distante na Gávea, Emerson, que deve ficar no banco de reservas, e Renato Augusto, que está machucado.

Mano Menezes, ao contrário de Tite, está em início de trabalho e tenta levantar o clube como fez no Corinthians. Mas é a tarefa mais simples porque ele chegou com o time na Série A. Se evitar o rebaixamento e, quem sabe, conquistar a Copa do Brasil já estará cumprido esse primeiro objetivo. De Tite a exigência é maior. Ele já atingiu o topo e agora precisa colocar o time de novo nos eixos após oscilar no Brasileirão e avançar com certa dificuldade na Copa do Brasil diante do Luverdense-MT, da Série C.

O Corinthians vai entrar em campo com um desfalque importante como Danilo. Isso vai sobrecarregar Douglas, que jogou com Mano Menezes, na armação. Mas Tite vai apostar na dupla Alexandre Pato e Paolo Guerrero. Se Ibson não for bem como segundo volante, colocar Edenílson no meio e reconduzir Alessandro à lateral é uma opção – ele já fez isso contra o Luverdense.