São Paulo – O alemão Michael Schumacher venceu o Grande Prêmio da Espanha de Fórmula 1, ontem, e aumentou ainda mais sua vantagem no Campeonato Mundial, com 50 pontos, conquistada com cinco vitórias em cinco corridas disputadas. Foi sua quarta vitória seguida em Barcelona.

O brasileiro Rubens Barrichello, companheiro de Schumacher na Ferrari e que também fez uma boa prova, foi o segundo. O italiano Jarmo Trulli, da Renault, acabou na terceira posição. Os outros dois pilotos do Brasil, Felipe Massa (Sauber) e Cristiano da Matta (Toyota) chegaram em nono e 13.º, respectivamente e, portanto, não marcaram pontos.

Schumacher, que extra-oficialmente completou 200 corridas na F-1 (a Federação Internacional de Automobilismo não computa o GP da Inglaterra de 1996, quando ele bateu na primeira volta), igualou o recorde do inglês Nigel Mansell que, em 1992, venceu as cinco primeiras corridas da temporada, com a Williams.

Esta foi a 75.ª vitória na carreira de Michael Schumacher, o maior ganhador da história da Fórmula 1. Dos grandes recordes, o alemão ainda só não superou a marca de pole positions do brasileiro Ayrton Senna, que largou 65 vezes na ponta. Schumacher, que conseguiu o melhor tempo no treino de classificação de sábado, alcançou sua 59.ª pole.

Vitória fácil

Schumacher só perdeu a primeira colocação da prova na largada, quando foi ultrapassado pelo italiano Trulli, que fez uma grande largada, pulando do quarto lugar para a ponta. O piloto da Renault se manteve na frente até a nona volta, quando parou para seu primeiro pit-stop. O alemão, que faria troca de pneus e reabastecimento duas voltas depois, roubou o lugar de Trulli.

Michael Schumacher voltou dos pits atrás de Rubens Barrichello. O piloto brasileiro, que largou na quinta posição, fez uma estratégia diferente de corrida. Ao contrário da grande maioria, que parou três vezes, fez apenas dois pit-stops, o que foi decisivo para terminar a prova na segunda colocação.

O pódio na Espanha consolidou a segunda colocação de Rubens Barrichello no Mundial de Pilotos, com 32 pontos, 12 a mais que o inglês Jenson Button, da BAR, o oitavo colocado em Barcelona.

O brasileiro Felipe Massa, que largou em 17.º, ou seja, na penúltima fila, também fez a estratégia de duas paradas -tática que levou seu companheiro de equipe, o italiano Giancarlo Fisichella à soma de dois pontos, com o sétimo lugar.

O colombiano Juan Pablo Montoya, da Williams, foi a grande decepção da prova. Largando na primeira fila ao lado de Schumacher, logo no início caiu para a quarta colocação. Com problemas de freios a partir da terceira volta, perdeu inúmeras posições e abandou a prova antes de seu final.

A sexta etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1 será disputada no próximo dia 23 de maio, em Mônaco.