“É uma honra usar a 10 de muitos outros grandes jogadores do Brasil”. As palavras de Neymar mostram o tamanho da responsabilidade que o craque brasileiro terá a partir desta quinta-feira, contra a Croácia, na abertura da Copa do Mundo. O jogador, que disputará seu 50.º jogo pela seleção brasileira, será o 11.º camisa 10 do Brasil em Mundiais.

Com exceção de Pelé, que vestiu a 10 com apenas 17 anos na Copa de 1958, Neymar será o mais jovem da lista a atuar na competição com o número às costas. Zico, por exemplo, tinha 29 anos no Mundial de 1982, quando comandou a seleção de Telê Santana. Rivellino, em 1974, tinha 28.

O primeiro camisa 10 da seleção em Copas foi Jair Rosa Pinto, um dos craques do time de 1950 – na Copa, surgiu a numeração dos jogadores. Quatro anos depois, na Suíça, a honra coube ao atacante Pinga.

Depois das dinastias de Pelé (1958, 1962, 1966 e 1970), Rivellino (1974 e 1978) e Zico (1982 e 1986), Silas e Raí vestiram a camisa 10 nas Copa de 1990 e 1994, respectivamente. Os jogadores, no entanto, passaram mais tempo na reserva.

JEJUM – Os últimos dois camisas 10, Kaká (2010) e Ronaldinho Gaúcho (2006), passaram em branco e não conseguiram marcar gols nos jogos da competição. O último a marcar foi Rivaldo, que fez cinco na campanha do penta em 2002 – o derradeiro contra a Inglaterra, nas quartas de final. O meia também vestiu a 10 na Copa de 1998.