Neymar diz que respeita o Corinthians, mas já se vê campeão da Copa Libertadores mais uma vez. O atacante considerou “maravilhosa” a classificação para as semifinais da competição e não acha que tenha jogado mal na vitória por 1 a 0 sobre o Vélez Sarsfield, quinta-feira, na Vila Belmiro. Para ele, os argentinos souberam fazer uma marcação eficiente para anular seu jogo, mas acabaram deixando Alan Kardec sozinho. “Tanto que ele fez o gol, como eu disse antes para ele”.

No dia seguinte à dramática passagem às semifinais, Neymar apareceu no período da tarde no CT Rei Pelé para fazer um trabalho regenerativo e atender a imprensa, antes da viagem para os Estados Unidos, na manhã de sábado, para se integrar à seleção brasileira. Mesmo procurando dar respostas respeitosas sobre o adversário das semifinais, Neymar disse que a história vai se repetir como na era Pelé.

“Posso estar ficando meio maluco, mas, mesmo respeitando todos os adversários, vejo a história se repetir. Ano passado fomos campeão diante do Peñarol, assim como em 61 (foi em 62) e contra o Boca em 62 (foi em 63) agora tem tudo para ser contra o Boca (Juniors) outra vez. Eu estou sonhando com isso. Respeitando o Corinthians, que é uma grande equipe, temos de sonhar para que isso aconteça. Posso estar viajando na maionese, mas podemos reviver isso. E devolver a derrota do Robinho”, disse o atacante, referindo-se à decisão da Libertadores de 2003, contra o Boca Juniors. “A gente tem tudo para ser campeão novamente”.

Embora esteja entre os jogadores que têm preferência por jogar na Vila Belmiro, Neymar não sente diferença em enfrentar o Corinthians em outro estádio e diz que Pacaembu e Morumbi estão se tornando as suas segunda e terceira casas. O que ele não esconde é que já está ansioso, embora o primeiro jogo das semifinais seja apenas dentro de três semanas.

“A gente sempre quer jogar logo para ver o que vai acontecer. Ontem (quinta-feira) o jogo foi às 20h, e no começo da tarde já falávamos que a hora não chegava. O jogo do Corinthians poderia ser amanhã. Mas, é sempre assim. Para quem joga futebol é pior. O cara quer que chegue logo a partida para jogar”, disse o atacante.

Neymar acha que o time vai sentir a falta do futebol refinado de Paulo Henrique Ganso, que nesta tarde fez uma artroscopia no joelho direito e tem poucas chances de voltar a jogar na segunda partida das semifinais da Libertadores, dia 20 de junho.

“O prejuízo é grande. Eu sinto falta por ser amigo, irmão e pelo craque que o Ganso é. Mas foi preciso fazer isso para que ele volte no segundo jogo e a tempo de ir para a Olimpíada. Foi tudo bem pensado entre Ganso e os médicos. Acredito muito que vai voltar com tudo para nos ajudar não só no Santos como na seleção”, declarou.

Questionado sobre a possibilidade de o Santos decidir o eventual título do Mundial de Clubes contra o Chelsea, em dezembro, ele preferiu responder que o resultado da Liga dos Campeões não premiou o melhor futebol.

“O Chelsea é uma grande equipe, tem jogadores fantásticos, mas foi um campeonato injusto. Eles se defendem muito, não sei se no Mundial ficariam atrás. A diferença entre os dois é grande. O Barcelona toma conta do jogo e o Chelsea, pelo que vi, só fica atrás”, avaliou.