Foram diversas alternativas testadas durante a pré-temporada, mas no final Ney Franco resolveu manter o esquema tático do ano passado e mandará o São Paulo no 4-2-3-1 que levou a equipe ao título da Copa Sul-Americana. A decisão aconteceu após o treinador reprovar a formação com uma formação em losango no meio, que teria Wellington recuado, Jadson e Denilson pelos lados e Ganso mais avançado perto do atacante.

“Não vou mexer na estrutura que terminou o ano bem. O Ganso ficará centralizado e vamos iniciar o jogo com o Jadson do lado direito e já criamos algumas alternativas para isso, como utilizar o Douglas e até o Aloísio”, justificou.

Encontrar um substituto para Lucas tem sido o maior desafio do técnico desde o começo do ano. Na primeira semana a equipe treinou na mesma formação de 2012 e depois sofreu algumas alterações para buscar alternativas, mas a fraca atuação contra o Red Bull sepultou as chances de mudança. Mesmo sem ser um atleta de velocidade, Jadson foi o escolhido para ocupar o lugar do ex-camisa 7.

Ney voltou a falar sobre a dificuldade de encontrar opções para o setor. Mesmo reconhecendo que não enxerga um possível reforço, ele deixou nas entrelinhas o desejo de contar com pelo menos mais uma peça de reposição.

“As informações mudam de um dia para o outro no futebol. O jogador que estiver naquele setor da direita será adaptado e temos alguns nomes que podem ser aproveitados por lá. Temos cinco jogadores dos juniores que serão integrados, o Ademilson será integrado e tenho que criar um espaço para aproveitar o pessoal da categoria de base. Não trabalhamos com um elenco fechado para a temporada, precisamos ficar atentos ao mercado e descobrir”.