Menos de duas semanas depois da histórica participação no Mundial de Doha, em piscina curta (25 metros), em que o País se sagrou campeão com 10 medalhas (sete de ouro), os nadadores brasileiros estão de volta às piscinas. Começa nesta quarta-feira, na sede do Botafogo, no Rio, o Torneio Open, primeira qualificatória para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, e o Mundial de Kazan, na Rússia, ambos em 2015. A segunda e última oportunidade de índice para as competições será o Troféu Maria Lenk, em abril.

Todos os medalhistas de Doha estarão presentes, assim como importantes atletas brasileiros que não estiveram no torneio, como o polivalente Thiago Pereira e os velocistas Bruno Fratus e Matheus Santana. “Vai começar a corrida pelo Pan e pelo Mundial, os campeonatos mais importantes de 2015”, disse Thiago Pereira. O medalhista olímpico e mundial abriu mão de ir para o Catar para se dedicar a um longo período de treinos com seus novos treinadores, Dave Salo e Jon Urbanchek, na Califórnia.

Thiago Pereira está inscrito para defender o Sesi-SP em cinco provas. Estreia nesta quarta, nos 100 metros costas, e ainda nada os 100 metros borboleta, 100 metros livre, 200 metros livre e 200 metros medley. “Estou pronto para nadar bem e conseguir bons tempos, mesmo não estando totalmente polido”.

Cesar Cielo, que colocou Doha como principal competição de seu calendário, vai nadar duas provas individuais – 50 metros livre e 50 metros borboleta -, além de revezamentos que possam ajudar seu clube, o Minas Tênis-MG, na briga pelo título. “O Open é mais importante para o clube do que para mim”, afirmou o nadador. “Mas o mais importante foi todo mundo sair de Doha com a vontade de continuar competindo”.

No primeiro dia de disputas, as eliminatórias (válidas pelo Campeonato Brasileiro Sênior) serão às 9 horas. As finais ocorrem a partir das 17h30. Etiene Medeiros, recordista mundial e campeã dos 50 metros costas em Doha, defende o Sesi nos 100 metros. “Vim de um ano positivo e espero terminar assim, confirmando minha vaga para Kazan e para o Pan”.

Dono de cinco dos sete ouros conquistados pelo Brasil no Catar, Felipe França também nada nesta quarta a sua especialidade, os 50 metros peito, pelo Corinthians-SP.