David Nalbandian fez valer sua experiência nesta sexta-feira para derrubar o tricampeão Nicolas Almagro nas quartas de final do Brasil Open. Contando com apoio da torcida no Ginásio do Ibirapuera, o argentino encerrou a série invicta de nove jogos do espanhol na competição brasileira com o placar de 2 sets a 1, parciais de 7/6 (7/5), 3/6 e 7/6 (7/3).

Dono de três títulos no Brasil Open (2008, 2011 e 2012), Almagro era novamente um dos favoritos ao título e dono da segunda cabeça de chave. Atual número 11 do mundo, precisou de três sets para vencer o chileno Paul Capdeville na estreia e, nesta sexta, contou com seu forte saque para fazer uma grande partida contra Nalbandian. No entanto, não resistiu à boa variação do rival, principalmente nos dois tie-breaks da partida.

“Foi uma partida muito difícil. Nicolas é um grande sacador, fez muitos aces. Acho que joguei bem nos momentos importantes, como no tie-break”, avaliou o argentino, atual número 93 do ranking da ATP. Em busca de uma vaga na final, Nalbandian vai enfrentar Simone Bolelli neste sábado. Mais cedo, o italiano derrotou o espanhol Albert Montañes por duplo 6/4.

Nalbandian e Almagro fizeram um dos melhores duelos do Brasil Open até agora. Mais consistente no início, o argentino tinha ligeira vantagem e conseguiu quebrar o saque do rival, fazendo 4/2, apesar dos 12 aces de Almagro no primeiro set.

O espanhol reagiu rapidamente e devolveu a quebra logo no game seguinte. Equilibrado, o confronto foi definido no tie-break. Nalbandian, então, se mostrou mais calmo nos pontos decisivos e garantiu o set inicial com uma grande passada na rede.

Sem desanimar, Almagro foi melhor no segundo set. Manteve o melhor serviço e pressionou o saque do argentino até faturar a quebra no oitavo game. Depois, fechou o set em 6/3 e levou a partida para o terceiro e decisivo set.

A última parcial seguiu equilibrada, com pequena vantagem do espanhol. Nalbandian tinha mais dificuldade para confirmar seus games de serviço, enquanto Almagro continuava com bom grande aproveitamento no saque. Foram 28 aces durante todo o jogo.

Sem a mesma potência no saque, Nalbandian apostava na alternância de jogadas, principalmente com deixadinhas na rede, na tentativa de encurtar a disputa dos pontos. A estratégia deu certo. Mesmo cansado, se impôs diante do tricampeão no tie-break e fechou a partida em 2h17min.