Em mais uma grande batalha nesta final da Copa Davis, o espanhol Rafael Nadal derrotou o argentino Juan Martín Del Potro por 3 sets a 1, com parciais de 1/6, 6/4, 6/1 e 7/6 (7/0), neste domingo, e garantiu o título aos anfitriões, no saibro do Estádio Olímpico de Sevilha.

A Espanha chegou ao seu quinto título da Davis – também venceu em 2000, 2004, 2008 e 2009 – ao fechar o confronto por 3 a 1 na série melhor-de-cinco jogos, que teve início na sexta-feira, com duas vitórias dos donos da casa nas partidas de simples.

Nadal derrotara Juan Monaco no duelo de abertura e David Ferrer superara Del Potro. Os argentinos, porém, evitaram a derrota precoce com o triunfo no jogo de duplas no sábado. David Nalbandian e Eduardo Schwank venceram Fernando Verdasco e Feliciano Lopez e deram sobrevida aos visitantes.

A vitória pareceu ter dado fôlego a Del Potro neste domingo. Em um início fulminante, o argentino não deu chances ao número dois do mundo e faturou três quebras de saque em seguida para fazer 6/1 no primeiro set.

Embalado, Del Potro continuou melhor na segunda parcial. Ele faturou nova quebra logo no primeiro game e chegou a ter 40/0 na sequência. Nadal, porém, “acordou” na partida e devolveu a quebra. “Foi um momento decisivo”, admitiu o espanhol, ao fim da partida.

O game marcou a virada de Nadal na partida. Na sequência, ele confirmou seu serviço pela primeira vez no jogo e encaminhou o empate no jogo. Empurrado pela torcida, o espanhol aplicou 6/1 no terceiro set e virou o marcador. A quarta parcial foi a mais equilibrada com quatro quebras de saque para cada tenista.

Nadal, porém, foi soberano no tie-break. Não cedeu pontos e garantiu o título aos donos da casa. “Agradeço ao público pelo apoio. Foi provavelmente o jogo com a melhor atmosfera em que já estive”, comentou o número dois do ranking, sem deixar de elogiar os torcedores visitantes. “A empolgação da torcida argentina com certeza deixou a vitória ainda mais especial”.

Com o triunfo, a Espanha se consolidou como a maior vencedora da Davis nos anos mais recentes, com cinco títulos nos últimos 11 anos. Bicampeões em 2008/2009, os espanhóis recuperaram o título conquistado pela Sérvia de Novak Djokovic no ano passado. A terceira vitória espanhola contra a Argentina dispensará a disputa do quinto e último jogo, que envolveria Ferrer e Monaco neste domingo.