De volta às quadras mais de três semanas após perder a final do Aberto da Austrália, o tenista espanhol Rafael Nadal não decepcionou o público que foi ao Rio Open nesta terça-feira. O tenista número 1 do mundo superou o compatriota Daniel Gimeno-Traver, 84.º do ranking da ATP, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/5. Apesar de o duelo ter exigido mais esforço do que o esperado, Nadal se mostrou satisfeito após a vitória.

“Uma vitória é sempre positiva, ainda mais quando se fica uma semana sem treinar”, avaliou o jogador. “Atuei em uma quadra em que não estou acostumado, ainda preciso melhorar minha maneira de me movimentar, acertar melhor os pontos, mas não serão com dois jogos que isso será possível.”

Nadal também comentou a situação da quadra, que recebeu ressalvas de alguns jogadores. “É verdade que há lugares na quadra que tem muita terra, as pessoas que cuidam da pista precisariam ver isso, principalmente no fundo”, afirmou.

O líder do ranking mundial volta a jogar na quinta-feira, novamente com um compatriota – Albert Montañes (72º do ranking), que venceu o holandês Robin Haase (44º), por 2 sets a 0. Nadal foi questionado sobre essa sequência de jogos contra tenistas de seus país. “Não gosto nem desgosto. Nos últimos anos a Espanha tem revelado muitos jogadores, principalmente no saibro”, destacou.

Rafael Nadal falou ainda sobre a participação do público brasileiro, que ocupou aproximadamente metade da arena com capacidade para 6.200 pessoas e o apoiou durante toda a partida. “As três vezes que estive no Brasil tive uma conexão especial com o público. A América Latina sempre tem um carinho especial por mim, me sinto em casa”, disse.