A dupla de pilotos da Mercedes voltou a ter reações opostas neste início de temporada da Fórmula 1. Enquanto o inglês Lewis Hamilton comemorava mais uma pole position, o alemão Nico Rosberg lamentava a pouca diferença para o companheiro de equipe no treino classificatório para o GP da China, neste sábado. Hamilton obteve a terceira pole seguida do ano com o tempo de 1min35s782, logo à frente do 1min35s824 registrado por Rosberg.

“A China continua sendo um bom circuito para mim. Costumo ter uma boa sensação aqui. E o carro está ótimo neste fim de semana em comparação com a Malásia”, comentou Hamilton, referindo-se à última corrida, quando foi superado pelo Sebastian Vettel.

Mais confiante desta vez, o inglês admite que será difícil suportar a pressão do companheiro e de Vettel na corrida deste domingo. “Temos uma corrida difícil pela frente amanhã. Nico está muito rápido, e a Ferrari tem um bom ritmo de corrida, eles têm um carro incrível, então temos muito pela frente ainda”, declarou.

Rosberg, por sua vez, reconhece que a pouca diferença para Hamilton o deixou desanimado. “Foram poucos centésimos, quase nada. Então é frustrante, porque foi por muito pouco e é claro que eu gostaria de ter ficado com a pole hoje”, disse o alemão, que ainda não obteve o primeiro lugar no grid neste ano.

Assim como Hamilton, o alemão espera um duelo complicado com a Ferrari novamente. “Será desafiador porque nós começaremos com o pneu opcional [macio] e logo isso vai acabar com nosso ritmo dramaticamente. Já os carros da Ferrari poderão ir mais longe que nós no início, como aconteceu na Malásia”, comparou, citando os pneus médios, mais resistentes, que serão utilizados por Vettel e pelo finlandês Kimi Raikkonen na largada.