O escocês Andy Murray, atual número 1 do mundo, quase protagonizou mais uma zebra no Torneio de Dubai, nesta quinta-feira. Um dia após a queda do suíço Roger Federer, o britânico precisou salvar sete match points para superar o alemão Philipp Kohlschreiber pelo placar de 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (4/7), 7/6 (20/18) e 6/1, em 2h54min de confronto.

O triunfo garantiu Murray na semifinal do torneio de nível ATP 500, disputado nos Emirados Árabes Unidos. Seu próximo adversário sairá do duelo entre o francês Lucas Pouille e o russo Evgeny Donskoy, justamente o responsável pela eliminação precoce de Federer, logo na segunda rodada.

Nesta quinta, Murray e Kohlschreiber fizeram um duelo muito equilibrado no set inicial, sem quebras de saque. No tie-break, o líder do ranking chegou a liderar o placar, porém não resistiu à virada do alemão, atual 29º do ranking.

O segundo set teve roteiro semelhante, porém com uma quebra para cada lado. E foi marcado por um suado tie-break, que durou 31 minutos. Murray precisou salvar os sete match points nesta disputa e só conseguiu levar o set e empatar a partida em seu oitavo set point.

As chances desperdiçadas acabaram com a confiança de Kohlschreiber. Abalado, foi vítima fácil de Murray no terceiro set. O alemão anotou apenas um game diante de uma forte atuação do favorito.

Mais cedo, o francês Gael Monfils se despediu de Dubai ao ser batido pelo espanhol Fernando Verdasco por 6/3 e 7/5. Monfils era o quarto cabeça de chave da competição. Na semifinal, Verdasco vai duelar com o holandês Robin Haase, que avançou na chave ao superar o bósnio Damir Dzumhur por 6/2, 4/6 e 6/4.