Andy Murray não teve nenhum problema para confirmar o seu favoritismo, nesta segunda-feira, e garantir vaga nas quartas de final do Aberto da Austrália. Cabeça de chave número 3 do Grand Slam realizado em Melbourne, o britânico avançou ao arrasar o francês Gilles Simon por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/1 e 6/3.

Murray precisou de apenas uma hora e 35 minutos para superar o seu adversário e agora irá enfrentar na próxima fase da competição outro tenista da França: Jeremy Chardy. Depois de surpreender o argentino Juan Martín del Potro na terceira rodada, desta vez ele passou pelo italiano Andreas Seppi, 21.º cabeça de chave, por 3 sets a 1, com 5/7, 6/3, 6/2 e 6/2.

Para encaminhar com rapidez o seu tranquilo triunfo nesta segunda, Murray aproveitou oito de 15 chances de quebrar o saque de Simon, que conseguiu converter os dois break points cedidos pelo britânico, mas não ameaçou o domínio do seu poderoso adversário. O britânico ainda contabilizou 12 aces e ganhou 77% dos pontos que disputou quando encaixou o seu primeiro serviço.

Para Murray, encarar Chardy será reencontrar o rival que o surpreendeu no último confronto entre os dois, no Masters 1.000 de Cincinnati do ano passado, quando o francês venceu por duplo 6/4. Antes disso, porém, o britânico levou a melhor em quatro duelos seguidos diante do francês.

Outro favorito que confirmou a condição de cabeça de chave e assegurou vaga nas quartas de final nesta segunda-feira foi o francês Jo-Wilfried Tsonga. Sétimo pré-classificado, ele superou o seu compatriota Richard Gasquet por 3 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6, 6/3 e 6/2.

Nono cabeça de chave em Melbourne, Gasquet levava vantagem de 4 vitórias e 3 derrotas no retrospecto geral dos duelos com Tsonga até esta segunda-feira, mas ele não encarava o seu compatriota desde 2009 no circuito profissional. E agora o atual oitavo colocado do ranking mundial igualou em 4 a 4 a história de embates entre os dois.

Com isso, Tsonga se credenciou para encarar na próxima fase do Grand Slam o vencedor do duelo entre o suíço Roger Federer e o canadense Milos Raonic, programado para acabar ainda nesta segunda-feira na Austrália.