Após a tranquila vitória do São Paulo sobre o Bragantino por 5 a 0, o técnico Muricy Ramalho começa a analisar abertamente o clássico contra Corinthians, na quarta-feira, na estreia da equipe na Copa Libertadores. E prevê um confronto equilibrado.

“Muito igual, a única diferença é que é no estádio deles. A gente contratou pontualmente, jogadores importantes, para o ano todo. Acho que é a Libertadores mais difícil de todos os tempos, pelo menos no nosso grupo. Vale a pena para quem participa, cada clássico tem uma história”, afirmou o treinador.

O treinador não revela o time que entrará em campo no clássico, mas agiu com bom humor diante dos questionamentos. “Você está querendo que eu fale a escalação agora, né? Pode perguntar até amanhã”, disse para os jornalistas na entrevista coletiva após a partida, em Bragança Paulista.

Muricy lamentou a ausência de Adrian Centurión no clássico. O meia argentino foi um dos destaques da goleada, mas não poderá atuar na quarta-feira, diante do Corinthians, por uma suspensão recebida da Conmebol ainda em 2013.

“Futebol é muito emocional. O cara faz uma partida e acham que está tudo certo, faz outra, está tudo errado. Tem que ter calma com ele, mas você percebe que é um grande jogador, inteligente. Essa suspensão a gente não esperava, mas aconteceu. Fazer o que, tem que contar com o que tem à disposição”, disse.